Padre defende valores morais

Nicodemos Paulo Uíge
15 de Março, 2015

Fotografia: Filipe Botelho | Uíge

O padre Pina Artur afirmou, na cidade do Uíge, ser importante que os cidadãos primem sempre por uma educação baseada em valores cívicos e morais, para que sejam socialmente aceites.

O sacerdote falava na cerimónia de lançamento do seu livro  “O Homem e a Cidadania”, realizada no Seminário Maior Diocesano de Estudos Filosóficos. O livro apresenta a tensão social existente entre os homens educados de forma consciente e os instruídos sem princípios morais e cívicos, expondo necessidade de todos serem educados com base em princípios morais, culturais e religiosos.
No livro, o padre afirma que a falta de valores morais e cívicos no seio da juventude, é resultado da educação que os jovens recebem desde a infância até à adolescência, fase importante na formação do carácter e da personalidade.
 “O processo educativo familiar e escolar tem de ser feito com seriedade e rigor, e não por mera improvisação de pessoas que ainda têm muito que aprender ou que não sabem ensinar”, frisou.
As famílias, referiu o sacerdote, precisam ser apoiadas para reassumir o seu papel na educação e orientação moral das crianças, enquanto as escolas, igrejas e outras instituições de ensino, segundo a sua função, precisam de pessoas vocacionadas e preparadas para que cumpram o seu papel com integridade, tendo em conta a cultura, religião e os princípios científicos universalmente aceites.
Pina Artur lembrou que é papel da igreja auxiliar o Estado na educação e melhoria da qualidade do ensino no país, despertando nas jovens gerações os valores patrióticos e altruístas. “O Homem e a Cidadania” está dividido em quatro capítulos e aborda a finalidade e as formas da educação, a idade para educação, o perfil do educador e o homem do ponto de vista político, religioso e cultural.
O autor refere que o livro pode auxiliar à compreensão e solução de alguns problemas sociais, políticos e culturais. “Penso que os professores de educação moral e cívica, políticos, antropólogos, psicólogos e outros interessados vão  encontrar no livro um instrumento prático de pesquisa”, disse.
“O Homem e a Cidadania” é o segundo livro do autor, editado pela Mayamba Editora, depois de “A superação do ser violento”.  O livro é lançado no dia 23, às 16h00, no Anfiteatro do Núcleo dos Deputados da Assembleia Nacional do Uíge.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA