Dossier aberto na UNESCO

Victor Mayala | Mbanza Congo
27 de Agosto, 2016

Fotografia: Garcia Mayatoko | Mbanza Congo

A ministra da Cultura, Carolina Cerqueira, trabalhou, ontem em Mbanza Congo, província do Zaire, onde mostrou as acções em curso no quadro da candidatura da cidade histórica a património mundial da Unesco a diplomatas angolanos e estrangeiros.

Nesta deslocação a Mbanza Congo, a governante fez-se acompanhar dos embaixadores da zona do antigo reino do Congo e de diplomatas angolanos acreditados junto da Unesco, União Europeia, Estados Unidos, Ghana, Brasil, Zâmbia e China, além da directora nacional do Património Cultural, Maria da Piedade, e de outros responsáveis do seu pelouro.
Segundo a ministra da Cultura, o objectivo da visita prendeu-se com a necessidade de se abrir o projecto da candidatura de Mbanza Congo à diplomacia, para facilitar uma maior divulgação das acções desenvolvidas pelo Executivo angolano. “Desta vez, o nosso objectivo é abrir o projecto à nossa diplomacia. É por isso que convidámos um grupo de embaixadores para vir ver no terreno o que estamos a fazer, para darem a conhecer à comunidade internacional este grande projecto que poderá projectar o nome de Angola e levar a nossa cultura para além das fronteiras”, referiu Carolina Cerqueira.
A governante avançou ainda que decorrem os preparativos para a realização, em Novembro próximo, da segunda conferência internacional sobre Mbanza Congo, onde devem participar peritos de vários países do mundo, entre convidados e interessados no dossier.
“Vamos fazer a conferência internacional sobre Mbanza Congo, provavelmente em Novembro. Teremos peritos internacionais e é nesse sentido que trouxemos aqui os embaixadores da zona do antigo reino do Congo e outros de Angola junto da União Europeia, Estados Unidos da América, Ghana, Brasil, Zâmbia e da China, para que possam fazer advocacia em relação a este património nacional que queremos que seja também mundial”, disse a governate. O embaixador de Angola junto da Unesco, Sita José, indicou que a diplomacia angolana continua a desempenhar o seu papel, tendo sublinhado que a visita dos diplomatas a Mbanza Congo vai permitir aprofundar os seus conhecimentos sobre o centro histórico nacional, para que possam difundir, no exterior do país, mensagens com propriedade.
O embaixador plenipotenciário de Angola no Brasil, Nelson Cosme, manifestou-se satisfeito, por tomar contacto com a antiga capital do reino do Congo, considerada berço da civilização em Angola.
“Viemos ao berço e nada melhor que conhecer a realidade e os fundamentos que estão na base da candidatura de Mbanza Congo a património da humanidade, para podermos fazer a advocacia”, disse.
Em Mbanza Congo, a ministra da Cultura, procedeu à apresentação do site da candidatura de Mbanza Congo, em slides, no formato power point, e, de seguida, visitou sítios e momentos históricos da região.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA