Juventude foi chamada a manter viva a História


22 de Abril, 2015

Os jovens da província do Huambo foram instados a entender o valor histórico dos monumentos e sítios, para que se dediquem à sua preservação e mantenham viva a História.

O apelo foi lançado pelo chefe do Património Histórico e Cultural do Huambo, João A­fonso, durante uma palestra sobre a “importância da preservação dos monumentos e sítios”, no quadro do 18 de Abril, Dia Internacional dos Monumentos e Sítios.
“A riqueza patrimonial e natural de cada país ou região está nestas obras, que reflectem o que hoje somos”, disse João Afonso. E acrescentou: “Somos um povo rico culturalmente, devemos conhecer os monumentos e sítios para que possamos conservá-los melhor”.
A província do Huambo tem 122 monumentos e sítios, dos quais sete aguardam pela classificação de património cultural, tendo apenas o Forte da Quissala, como único  monumento já classificado como Património Cultural Nacional, pelo Ministério da Cultura.
A Secretaria Provincial da Cultura de Cabinda promoveu, no município de Cacongo, uma palestra com o tema “A importância dos Monumentos”, cujo prelector foi  o director do Museu Regional de Cabinda, Francisco Angó.
Durante a palestra, Francisco Angó destacou o interesse histórico e a importância da preservação e conservação dos monumentos e sítios. 
A actividade  visou saudar o 18 de Abril. Começou com visitas a locais históricos e culturais como o santuário espiritual de Mankama Nzila e a zona de Chinfuca. Cabinda tem 37 monumentos e sítios, com destaque para a Igreja Santiago Maior de Lândana, as casas de ferro, de construção holandesa, o Cemitério dos Nobres, o Museu Regional de Cabinda, o Palácio do Governo Provincial de Cabinda e a região de Chinfuca.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA