Cultura

Marco Kabenda cria "Just Limpo"

“Just Limpo” é o título da exposição de Marco Kabenda, que é inaugurada amanhã, às 18h00, no Sete& Meio - Jazz Bar Galeria, novo espaço cultural, localizado na rua Major Kanhangulo, em Luanda.

Artista plástico aposta num estilo diferente do original
Fotografia: DR

A exposição, que reúne sete pinturas inéditas, fica patente até 16 de Outubro e pode ser visitada pelo público de segunda-feira a sábado, das 17h00 às 2h00.
Marco Kabenda descreve o projecto “Just Limpo” como uma maneira de agir, pensar e pintar, resultante de uma investigação sobre como fazer uma pintura limpa, “sem preconceitos, capaz de mostrar a beleza.”
Em preparação há três anos, a mostra, disse o artista, é a continuidade dos trabalhos que tem vindo a desenvolver. “São os obstáculos e os sonhos sobre tudo o que aprendi e vivi. É uma junção entre o passado e o presente, expostos num trabalho mais apurado, que incentiva a um diálogo entre a sociedade e o mundo”, explicou.
A mostra, adiantou, traz pessoalidades técnicas e experiências de vários anos, exibidos em técnicas como acrílico sobre telas e fotografias. “Passei parte do tempo a ajudar a transmitir conhecimentos e a consolidar alguns projectos artísticos futuros. Agora, este é o resultado de toda a experiência.”
Nos últimos anos, destacou, tem estado a desenvolver um trabalho de investigação sobre os lunda-cokwe, pela importância da simbologia nos traços desta arte e compara-a com outras universais e de outros povos do mundo.
“É uma arte que teve  origem no berço da humanidade, porque quando misturamos coisas do habitat com a natureza e as várias culturas diferentes, vemos que a humanidade é só uma e afinal somos idênticos e parecidos, apenas comunicamos com símbolos diferentes.”
Natural da Muxima, Marco Kabenda frequentou o Instituto de Arte e Comunicação Visual de Lisboa, em Portugal, de 2003 a 2004. Integrou o grupo “Os Nacionalistas”, com Lino Damião, Thó Simões, Yonamine, Nelo Teixeira, Yosvany, Muambi Wassaky, Sebá, Kiluanji e Zizi. Passou pelo antigo Barracão, na Cidade Alta, onde teve a oportunidade de cruzar com mestres, como Jorge Gumbe, Francisco Van-Dúnem (Van), Marcela Costa, Masongi Afonso e Kidá.
Frequentou, entre 1988 e 1991, o curso de Artes Plásticas, no Instituto Médio de Formação Artística e Cultural de Angola (INFAC). Esteve na África do Sul, onde estudou “Graphic Design”. É detentor de vários prémios, com realce para o Ens’Arte.

Tempo

Multimédia