Ministra da Cultura no Palácio de Ferro

Francisco Pedro |
18 de Abril, 2017

Fotografia: Paulo Mulaza | Edições Novembro

Sob o tema “Património Cultural e Turismo Sustentável”, assinala-se hoje o Dia Internacional dos Monumentos e Sítios, facto que leva a ministra da Cultura, Carolina Cerqueira, a afectuar uma visita, às 10h00, no Palácio de Ferro e, uma hora depois, ao Centro Cultural Brasil-Angola, na Baixa de Luanda.

A data visa promover os monumentos e sítios históricos e valorizar o património nacional e ao mesmo tempo alertar para a necessidade da sua conservação e protecção.
Em declarações à Angop, a directora do Instituto Nacional do Património Cultural, Maria da Piedade, disse ser imperioso a participação activa das comunidades no processo de preservação, promoção e valorização dos bens classificados como património cultural. Maria da Piedade manifestou a sua satisfação pelo facto de notar-se nas regiões, onde existem bens classificados, uma preocupação para com a valorização da memória colectiva local e a sua difusão pública.
De acordo com a responsável, a promoção, protecção e valorização dos bens culturais permitem a perpetuação da memória dos povos e permitir que as novas gerações tenham informações sobre o meio que os rodeia.
A directora destacou ainda a participação dos parceiros, entre os quais a Odebrecht e o Gamek na reabilitação dos monumentos localizados no Corredor do Kwanza,  na província do Cuanza Norte.
“Felizmente, temos contado com o apoio de parceiros e das comunidades no que ao processo de restauração de monumentos diz respeito, sendo uma mais-valia para a garantia da preservação da história cultural dos angolanos”, realçou a responsável.
Existem 265 monumentos classificados como bens culturais, alguns dos quais carecem de intervenções de restauração.   Relativamente ao processo de classificação, Maria da Piedade adiantou que o processo é conduzido pelas direcções provinciais da Cultura, instituições que têm a tarefa de identificar os bens patrimoniais, devendo respeitar, entre outros critérios, a estética, beleza arquitectónica, história e idade da infra-estrutura. “Feita a classificação como património cultural, a preservação e valorização do bem cultural, exige uma acção conjugada entre a cultura e os membros das comunidades”, disse a directora do Instituto Nacional do Património Cultural.

Histórico

O Dia Internacional dos Monumentos e Sítios foi instituído pelo Conselho Internacional de Monumentos e Sítios (Icomos), a 18 de Abril de 1982. Trata-se de uma organização não governamental global, associada à Organização das Nações Unidas para a Ciência, Educação e Cultura (Unesco).
Com sede em Paris, na França, a Icomos propõe os bens que devem receber classificação de Património Cultural da Humanidade. O Icomos foi criado em 1964, durante o II Congresso Internacional de Arquitectos, em Veneza, ocasião em que foi escrita a Declaração Internacional de Princípios norteadores de todas as acções de restauro - “Carta de Veneza”.
Actualmente com seis mil e oito associados em cerca de 107 países, organizados em Comités Nacionais, nos cinco continentes, o Icomos International é administrado por uma secretaria executiva sediada em Paris.
As questões doutrinárias relativas à preservação e restauro do património cultural, no que concerne aos Monumentos e aos Sítios Históricos, são discutidas e propostas pelos Comités Executivo e Consultivo e as suas conclusões são apresentadas para aprovação da Assembleia Geral na forma de “cartas” e “recomendações”.
O Icomos desenvolve uma ampla actividade no campo da formação, publicações, turismo cultural e arqueologia, entre outros, desenvolve técnicas, princípios e políticas de conservação, protecção e reabilitação do património cultural nos países membros.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA