Museu Britânico empresta obras gregas


8 de Dezembro, 2014

Fotografia: Divulgação

O Museu Britânico emprestou um dos Mármores de Elgin à Rússia, a primeira peça das antigas esculturas a deixar a Grã-Bretanha desde que foram levadas do Partenon, em Atenas, há 200 anos.

Os britânicos informaram ainda que não querem dar as esculturas do Partenon à Grécia porque Atenas “não tem condições” para cuidar delas. Esta é a primeira vez que emprestam uma a outro museu: o Hermitage.
Os Mármores de Elgin não saíam do Museu Britânico desde 1816, quando foram trazidos do Partenon pelo Lorde Elgin. Agora, pela primeira vez, uma das esculturas foi emprestada ao Museu Hermitage, em São Petersburgo, na Rússia.
O museu russo faz 250 anos e vai incluir o deus dos rios Ilissos, a que falta a cabeça, numa exposição comemorativa até 18 de Janeiro. O empréstimo manteve-se secreto até ao final da semana, quando foi revelado pelo “The Times”. A exposição foi inaugurada também no fim-de-semana.
Os Mármores de Elgin são uma colecção controversa. Atenas há muito que pede a devolução destas esculturas, que foram retiradas do Partenon por Lorde Elgin, quando a Grécia se encontrava sob o domínio do Império Otomano.
Conforme destaca o analista da BBC, Trevor Timpson o empréstimo está a levantar alguma revolta na Grécia, visto que “o Museu Britânico estava disposto a enviar a estátua para o Hermitage pelo seu 250º aniversário, mas não enviou nada para o novo museu da Acrópole em Atenas, onde há lugares reservados para Ilissos e para todas as outras estátuas em falta”.
O director do Museu Britânico, Neil MacGregor não se mostrou muito preocupado quando foi questionado pela BBC, dizendo antes que o museu estava disposto a emprestar qualquer peça da colecção desde que estivesse pronta a viajar e fosse para um sítio seguro, onde tivesse garantia de que ia ser devolvida. “O governo grego nunca pediu as peças emprestadas”, sublinhou.
Quanto aos gregos, o director disse apenas: “Espero que fiquem muito felizes que um enorme novo público possa envolver-se com os grandes feitos da Grécia Antiga. Pessoas que não podem ir a Atenas ou a Londres podem agora, na Rússia, perceber um pouco da civilização grega”.
Um dos argumentos principais para não devolver os mármores a Atenas tem sido que os gregos não têm nenhum museu com condições para cuidar tão bem das peças históricas como o Museu Britânico. No entanto, em 2009 abriu em Atenas o Novo Museu da Acrópole, que guarda lugares para as várias estátuas roubadas do Partenon.
O Museu Britânico afirma que a sua colecção é “um recurso único para o mundo”, citado pelo “Financial Times”, que dá oportunidade aos seus visitantes de ter uma visão sobre o conjunto das relações entre as culturas humanas, algo que não era possível se todas as peças fossem separadas e devolvidas à origem.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA