O Dia da Língua no Centro Camões

Roque Silva |
4 de Maio, 2016

Fotografia: António Pipa

O Centro Cultural Português promove este mês, na sua sede, em Luanda, um conjunto de actividades para comemorar o Dia da Língua Portuguesa e da Cultura da Comunidade dos Países da Língua Portuguesa (CPLP), que se assinala a amanhã.

O conjunto de atracções tem início hoje, às 18h30, com o lançamento do concurso Palavra do Ano, cuja ideia é escolher a palavra mais votada pelos participantes, para estimular no futuro a utilização pelos artistas das mais distintas manifestações artísticas na produção dos seus trabalhos.
À semelhança do que acontece em Portugal e em Moçambique, o concurso decorre em três fases distintas, que vão desde a sua apresentação, a recolha de propostas (palavras), o período de votação de dez palavras e a divulgação da palavra vencedora, no próximo ano.
Os interessados têm acesso ao concurso a partir da meia-noite de quinta-feira, através da página da internet: www.palavradoano.co.ao.
A edição deste ano marca a internacionalização da iniciativa, criada em 2009, em Portugal, pela Porto Editora, por resolução da XIV Reunião Ordinária do Conselho de Ministros da organização, realizada na Praia, em Cabo Verde.
Este ano, as actividades chegam a perto de três dezenas de países, com o apoio e iniciativa da rede do Camões-Instituto da Cooperação e da Língua.
O director da Plural Editora, instituição responsável pela realização do concurso em Angola, disse ao Jornal de Angola que o objectivo é difundir a riqueza do léxico e o dinamismo criativo da Língua Portuguesa noutras partes do mundo onde ainda é desconhecida.
Paulo Machado Ribeiro referiu que o concurso procura valorizar a importância das palavras, dos seus significados na produção individual e social dos sentidos, com que se vai interpretando e construindo a própria vida.
A Língua Portuguesa é um património vivo e comum aos mais de 250 milhões de pessoas que nela se expressam em vários continentes.
Esta ideia, disse Paulo Machado Ribeiro, fundamenta-se no facto de a língua portuguesa constituir, entre os povos da comunidade, um vínculo histórico comum resultante de uma convivência multissecular que deve ser valorizada.
Indicadores estatísticos apresentados nesta mostra revelam, nomeadamente, que os falantes de português “representam cerca de 3,7 por cento da população mundial e detêm aproximadamente quatro por cento da riqueza total”, e ainda que “os oito países de língua oficial portuguesa ocupam uma superfície de 10,8 milhões de quilómetros quadrados, cerca de 7,25 por cento da superfície continental da Terra, possuindo todos eles amplas plataformas marítimas”.
Durante a apresentação do concurso está prevista uma animação cultural, que reserva declamação de poesias de autores dos países da CPLP, na qual está garantida a presença de José Luís Mendonça, e momentos musicais com os trovadores Júlio Gil e Wilmar Nakeni.
A programação de actividades alusivas ao Dia da Língua Portuguesa e da Cultura da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) reserva para amanhã o lançamento do romance “Se o passado tivesse asas”, de Pepetela. O projecto “Há Cultura no Camões”, um espaço de debates e espectáculos de teatro acontece nos dias 10 e 11, e a inauguração da exposição “Áfrika”, de Guilherme Mampuya, no dia 12. O escritor Manuel Rui apresenta, no dia 24, o romance “A Acácia e os Pássaros”, e no dia seguinte, o músico Júlio Gil realiza um espectáculo com a participação de Kyaku Kyadaff e Paulo Matomina.
A exposição “Rastos”, uma homenagem de Lino Damião a Vitor Teixeira “Viteix” encerra, no dia 31, as actividades deste mês no Camões-Instituto Cultural Português, em Luanda.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA