Património histórico é preservado

Estácio Camassete | Huambo
22 de Maio, 2015

A ministra da Cultura reafirmou na quarta-feira, na Caála, província do Huambo, ser  necessário preservar e valorizar do património histórico e cultural para perpetuar os feitos dos angolanos.

A ministra, que  falava num encontro  com as autoridades municipais, antes da visita ao monte Sumé, local onde estavam concentrados os seguidores da seita “7º Dia Luz do Mundo”, disse ser importante recuperar os valores históricos de forma conjunta e encontrar uma maneira mais simples de promover a cultura de paz e unidade nacional.
Rosa Cruz e Silva anunciou que o Ministério da Cultura “vai dar mais ênfase às questões relacionadas com o património histórico e cultural ligado às bibliotecas, arquivos e museus”. A ministra assegurou que vai ser prestado “apoio metodológico, técnico e científico às equipas dos Governos Provinciais para elevação e valorização da cultura nacional”. Rosa Cruz e Silva lembrou que está em curso o processo de valorização das figuras históricas e requalificação das ombalas em todo o país, cuja obra pioneira é a estátua do rei Ekuikui II, erguida no centro da vila do Bailundo.
A ministra prometeu promover a História do país com mais homenagens a figuras históricas para tornar conhecidos os seus feitos e percurso, “legado importante que vai ajudar a enfrentar os desafios da globalização e das pessoas não satisfeitas com o ambiente de paz que o país vive”.
A ministra apelou ao maior envolvimento da população em todas as acções destinadas à recuperação, valorização e afirmação do património histórico-cultural do país, “enquanto factores de elevação da cultura de paz”. Rosa Cruz e Silva sublinhou a importância da ocupação profissional dos jovens, quer na agrícultura, quer na área cultural, nas ombalas e aldeias, para reforçar os hábitos alimentares e religiosos e promover  a concórdia, paz, solidariedade e unidade.
A ministra teve um encontro o governador Kundi Paihama e com as autoridades tradicionais da localidade do Quilómetro 25, a quem incentivou ao diálogo com os jovens na procura de soluções para os problemas sociais e no respeito pelos valores culturais.
Lembrou que as ombalas sempre foram locais de produção de peças da cultura nacional que valorizam os hábitos e costumes alimentares, morais, éticos e religiosos. Rosa Cruz e Silva  visitou ainda o túmulo do soba Huambo Kalunga, na localidade da Muangunja, município da Caála.
A ministra visitou o Huambo acompanhada pelo director nacional para os Assuntos Religiosos, Manuel Fernandes, director adjunto do Arquivo Nacional de Angola, Francisco Alexandre, e director do Centro de Documentação e Informação, Miguel Pacheco.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA