Preservação é essencial para a candidatura


20 de Abril, 2016

Fotografia: Fernando Neto | Mbanza-Congo

A preservação dos monumentos e sítios históricos é um elemento fundamental para a inscrição da cidade na lista do património mundial da Unesco, considerou, na segunda-feira, em Mbanza Congo, o director provincial do Zaire da Cultura.  

Biluka Nsakala Nsenga, que abordou, numa palestra, o tema   “Mbanza Congo candidata a património mundial, factores decisivos e indispensáveis para a sua inscrição na UNESCO”, em alusão ao Dia Internacional dos Monumentos e Sítios, pediu a colaboração dos munícipes para a preservação e conservação dos locais históricos e culturais.
Biluka Nsenga disse constituir um risco para o objectivo pretendido a construção de residências e outras infra-estruturas na parte histórica da cidade, a vandalização dos monumentos e sítios históricos, entre outras práticas que podem desencorajar o reconhecimento mundial da antiga capital do Reino do Congo.
Biluka Nsakala Nsenga disse que a cidade de Mbanza Congo tem todas as condições exigidas pela UNESCO para a sua classificação, cujo dossier de candidatura se encontra  já em posse do organismo das Nações Unidas que vela pela Educação, Ciência e Cultura. Biluka Nsenga recordou como locais históricos memoráveis da cidade o Museu dos Reis do Congo, as ruínas do antigo Palácio Real (Tadi dia bukikua), a antiga Sé Católica (Kulumbimbi) e o Cemitério dos Reis do Kongo.
“A população deve cumprir com as normas estabelecidas pela administração municipal para que consigamos atingir a meta de elevar esta histórica cidade a património mundial”, aconselhou.

Identidade dos povos


Os monumentos e sítios históricos constituem o substrato da identidade cultural dos povos, por ressaltarem o passado, daí a importância da sua preservação, afirmou segunda-feira, na província do Huambo, o historiador Festo Sapalo.
Em declarações à Angop por ocasião do Dia Internacional dos Monumentos e Sítios, o historiador disse que eles permitem reviver os acontecimentos ocorridos no passado.
Por este motivo, Festo Sapalo considera fundamental preservar e conservar os locais de interesse histórico do país, para que as futuras gerações os possam conhecer.
A elevação das pinturas rupestres de Kaniñili, situadas no município do Mungo, a local histórico nacional, marcou as comemorações do Dia Internacional dos Monumentos e Sítios, orientado pelo vice-governador provincial para o sector Político e Social, Guilherme Tuluca. As pinturas estão inscritas num penedo pertencente ao conjunto das pedras negras de Kaniñili, onde se integram igualmente as antigas muralhas de ombalas que, de acordo com as escavações arqueológicas realizadas em 1970, têm entre sete a dez mil anos.
Na ocasião, Guilherme Tuluca apelou à população da localidade para preservar o sítio, devido à sua importância histórica e cultural, tendo acrescentado que o lugar deve merecer atenção especial na sua preservação, pois as pinturas foram deixadas por homens que habitaram este local no século IV.

Exposição de artes


Uma exposição de artesanato e escultura foi realizada, na segunda-feira, na localidade de Nanguanza, pela Direcção Provincial da Cultura na Lunda Sul, no âmbito do Dia Internacional dos Monumentos e Sítios.
A exposição teve como  objectivo fortalecer a nação, promover a afirmação da cultura como base indispensável para o desenvolvimento integral do ser humano e da cidadania.
As obras expostas retratam   a cultura do povo Lunda Tchokwe e os grandes símbolos da História e tradição angolana. Na feira estiveram expostas artesanato feito em cera e colares de madeira,  materiais de caça e o pensador como o símbolo da cultura nacional.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA