Património local precisa difusão


28 de Abril, 2015

A protecção e mais divulgação da cultura material e imaterial do Cuando Cubango junto dos jovens é um passo fundamental para a salvaguarda da tradição local, defendeu, ontem, a directora da Cultura.

Carla Cativa disse que a riqueza do património nacional não deve ser medido somente pelo legado material, mas também o imaterial, na maioria das vezes ignorado e pouco divulgado entre os jovens.
A responsável, que fez um balanço sobre o estado actual do sector na província, disse que o sistema de valores das várias comunidades que constituem o mosaico nacional ainda é bem visível no dia-a-dia, através das tradições, crenças, artes e sobretudo das línguas africanas de Angola, que representam a essência da identidade. Porém é preciso uma maior divulgação.
No domínio das artes, acrescentou, a província tem inscritos 98 músicos, dez grupos de teatro, 20 artesãos, dez artistas plásticos, 22 grupos de danças modernas e 42 de danças tradicionais, duas bandas musicais, quatro fotógrafos profissionais e dois estúdios.
Em relação ao património histórico informou que a instituição tem 44 igrejas reconhecidas. A construção de um museu e de uma biblioteca provincial, a reabilitação do Forte Serpa Pinto, da cadeia do Missombo e a construção de centros culturais em todos os municípios, foram igualmente apontadas como parte das principais necessidades do sector.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA