Peça "A Órfã do Rei" na Casa da Cultura

Roque Silva |
25 de Maio, 2016

Fotografia: Paulino Damião

A apresentação da peça “A Confissão da Órfã do Rei”, do colectivo Nova Semente, na sexta-feira, às 19h00, na Casa de Cultura Njinga Mbandi, em Luanda, marca o início das actividades de teatro naquele espaço.

O espectáculo, uma adaptação do livro “A Órfã do Rei”, de José Mena Abrantes, é, para a directora do espaço, um desafio, porque requer a criação de condições condignas aos grupos interessados em promover as artes cénicas.
Kanguimbo Ananaz disse ao Jornal de Angola que o espectáculo abre um ciclo de iniciativas, a serem realizadas, a partir de sexta-feira, com regularidade, com intuito de promover as artes angolanas e os seus fazedores.
A direcção da Casa de Cultura Njinga Mbandi, reforçou, pretende apoiar todas as iniciativas de carácter artístico e social. A Biblioteca Manuel Pedro Pacavira, adstrita a  casa de cultura Njinga Mbandi, recebeu, este mês, 500 livros, da União dos Escritores Angolanos e da Tchingapy Editora.
A peça, encenada por Miguel Lourenço “Freddy”, conta a história de uma órfã criada num asilo em Portugal que anos depois causa um tumulto ao fazer uma confissão em plena praça pública. O encenador adiantou  que o grupo estreia, em Setembro, o espectáculo “Tio Morgado”. O drama “A Confissão da Órfã do Rei”, com a duração de uma hora, é interpretado por Eliandra Lucas.
O colectivo de teatro Nova Semente foi criado em 1999, por vários jovens afectos ao Centro da Ressurreição, que pertence à Igreja de Nossa Senhora de Fátima.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA