Cultura

Peça é exibida domingo no palco da Liga Africana

Manuel Albano

O grupo Ombaka, de Benguela, apresenta, no domingo, a peça “Meu amor da rua 11”, e pretende destacar o poema de Aires de Almeida Santos.

O espectáculo de teatro do grupo Ombaka é inspirada no poema de Aires de Almeida Santos
Fotografia: Dombele Bernardo | edições novembro

A peça é uma adaptação do poema “Meu amor da rua 11”, que retrata Esperança Lima Coelho Vilhena “Panchita”,   que vivia na rua 11, do bairro Benfica, em Benguela. O poema, escrito na década de 1960, foi musicado por vários intérpretes.
O grupo Ombaka, que chega hoje a Luanda, sagrou-se vencedor da primeira edição do Prémio Provincial de Benguela, em 2014, foi formado no dia 5 de Março de 2005, e tem vários prémios. Tem várias participações nos festivais do Cazenga, da Paz (Luanda), Mostra de Esquete Teatral no (Brasil), no Festival Internacional de Teatro do Inverno de Moçambique, e no Voz África e Efetikilo, ambos no Huambo.

“Verdade ditas pelo diabo”

O grupo “Kipapumunu” apresenta, hoje, às 20h00, na Liga Africana, em Luanda, a peça “Verdades ditas pelo diabo”, no âmbito da terceira edição do Circuito Internacional de Teatro (CIT), que decorre até ao dia 17 de Setembro.
Sob o lema “Trazendo o mundo para Angola e levando Angola para o mundo”, o CIT integra  o projecto Cultura para todos. A peça é inspirada em vivência cristã, e retrata a vida de crentes confrontados com uma figura diabólica, “Diabo Satanás”.
Mentiroso e astuto, “Diabo Satanás” tenta destruir a fé de quem acredita em Cristo. A personagem vinga-se de que acreditam em Jesus Cristo. Uma das formas que encontra para causar terror é roubar, matar e destruir todos os seguidores de Cristo.  De acordo com a sinopse, “Diabo Satanás” fala toda a verdade a seu respeito e acerca do comportamento dos crentes.

“A mulher do António”

O grupo Nova Cena apresenta, amanhã, no mesmo espaço, a peça “A mulher do António”. Narra a vida de um deputado em conflito permanente com a esposa, em que os actores espelham diferenças sociais e barreiras existentes entre ricos e pobres.
A mulher considera o ma-rido incumpridor das suas obrigações. Embora ele seja deputado, ela crê que as re-galias do marido o afastam das responsabilidade de solucionar os problemas da população. A peça faz  alusão ao combate à corrupção e ao nepotismo.

Tempo

Multimédia