Cultura

Peça sobre o aborto abre ciclo de teatro

Roque Silva

O aborto é o tema central da peça “A voz do futuro”, com a qual o colectivo de artes  Upangue, abre hoje, às 19 horas, na Casa de Cultura Bismas das Acácias, em Benguela, a “maratona dramática” denominada “Mar Teatro”.

Fotografia: Ediçoes Novembro

A trama do espectáculo decorre no ventre de uma mulher e tem como pano de fundo uma discussão com o feto, pelo facto da geradora querer abortar.
A decisão resulta do facto do pai da criança, um jovem com quem teve uma curta relação, rejeitar a gravidez, sob a alegação de não haver amor entre ambos.
A peça com 50 minutos de duração, encenada e escrita por Rufino Alfredo, é representada por oito actores. O ciclo de teatro, que de-corre até domingo, tem a participação de nove grupos de Benguela, Bié e Cuanza -Sul. Hoje sobem ao palco o grupo Elite, às 20 horas, com a peça “Mansão dos Mortos”, e o colectivo Geração Twampanga, uma hora depois, para a apresentação do drama “Corno nas Bandas”.
Amanhã, estão agendadas as exibições das companhias André Mingas, com “O mendigo”, Tweya, com “A viúva”, e Horizonte de Artes, com “O pecado do século”. No domingo, actuam os grupos Turila Kieto, com “20 mais 1, igual?” e Tchakwokwo, com “Ela tem que ser minha”. O colectivo Jovens e o Livro encerra com “A maldição da Lemba”.
O coordenador do evento, Rufino Alfredo, sublinhou que a iniciativa visa aproximar os grupos emergentes de alguns dos mais experimentados da região centro do país, de modo a que os novatos possam colher conhecimentos.

Tempo

Multimédia