Cultura

Pedro Tarouca molda ferro em obras de arte

Amilda Tibéria

O percurso de várias etapas e vivências de Pedro Tarouca pode ser revisitado, desde quinta-feira até hoje, em 60 peças de arte inéditas, na exposição “Ferro Forjado”, patente no Palácio de Ferro, em Luanda.

Criações artísticas de Pedro Tarouca estão expostas até hoje
Fotografia: Contreiras Pipa | Edições Novembro

De acordo com o artista, a exposição retrata o permanente desafio de aperfeiçoamento das técnicas de forjar o ferro.
Um dos grandes desafios, explicou, é a utilização de técnicas ousadas, por forma a poder ultrapassar as barreiras que limitam descobrir outras formas de utilizar o metal como objecto importante na construção das obras.
Como proposta, disse, utilizou o ferro para produzir as peças de arte, como parte de um desafio antigo na procura de outras experiências artísticas. “O meu pai é a minha grande fonte de inspiração, porque passei a maior parte da infância vendo-o a trabalhar o ferro. Depois de ter falecido, decidi seguir o legado.”
Embora procure apresentar, nos trabalhos, uma proposta inovadora e ousada, Pedro Tarouca chama a atenção sobre a importância de maior valorização e preservação dos recursos naturais, em particular o ferro, pela sua nobreza e fácil obtenção. “Quando idealizo alguma peça, mando logo para o papel e, depois, procuro transformá-la em obra de arte.”
O artista disse que pretende mostrar ao público ser possível trabalhar o ferro na perspectiva artística. “Com o ferro, também se fazem coisas lindas que podem dar origem a formas de objectos de arte.”
Pedro Tarouca produz peças de arte há 13 anos e tem obras expostas em várias instituições do país.

Tempo

Multimédia