Cultura

Pedro Pires apresenta conceitos de igualdade

Mergulhar nos vários significados figurativos e conceituais de identidade em diferentes sociedades, usando diferentes materiais, “media” e objectos quotidianos é o propósito da participação do artista angolano Pedro Pires na residência artística da Delfina Foundation, em Londres.

Artista plástico angolano permanece até Agosto em Londres
Fotografia: António Serra Júnior| Fundation Delfina


Na residência artística de 26 de Junho a 20 de Agosto, o artista angolano explora questões sobre identidade e estereótipos em relação à educação e às instituições.
Este interesse particular de Pedro Pires vem da sua própria herança de mistura pessoal: nascido em Luanda e a morar em Portugal. Esta é a segunda vez que um artista angolano frequenta uma residência no Reino Unido. O Espaço Luanda Arte (ELA) conseguiu obter apoios privados no Reino Unido e em Angola de forma a garantir esta residência e acredita não só na importância enorme que estas plataformas têm no crescimento do artista, mas também no imenso papel diplomático que a Arte Contemporânea Angolana pode desempenhar na melhoria de relações e actividades entre os dois países, Angola e Reino Unido.
Depois de passar algum tempo na Grécia a fazer trabalho voluntário e pesquisas de campo, Pedro Pires desenvolveu o novo projecto  “Welcome / Goodbye”, no qual ele aborda a crise dos migrantes na Europa. Durante a sua residência na Fundação Delfina, ele vai continuar o desenvolvimento do seu projecto, realizando pesquisas de campo no Reino Unido.
As obras do Pedro Pires encontram-se em várias colecções nacionais e internacionais. O artista já expôs na Gallery Arte Periférica (Lisboa), Grand Palais - Art Paris Art Fair (Paris), Gallery Momo (Joanesburgo e Cidade do Cabo), Arsenale di Venezia (Veneza) e Espaço Luanda Arte (ELA).

Tempo

Multimédia