Cultura

Percurso artístico do rei Elias em DVD

Mário Cohen |

O percurso artístico do rei da música angolana, Elias dya Kimuezu, passa a ter uma maior divulgação e projecção às novas gerações com a gravação em CD e DVD dos seus melhores sucessos, uma iniciativa a ser financiada pelas União Nacional dos Artistas e Compositores (UNAC)  e dos Escritores Angolanos (UEA).

Elias dya Kimuezu exortou a juventude a ter orgulho em cantar em línguas nacionais por forma a contribuir para o reforço da identificação cultural
Fotografia: Miqueias Machangongo|Edições Novembro

A informação foi avançado quarta-feira pelo músico Dom Caetano, durante a habitual “Maka à Quarta-feira” na União dos Escritores Angolanos, que faz uma abordagem sobre a vida e obra de Elias dya Kimuezu, com moderação de Agnela Barros.
Segundo Dom Caetano, membro da União Nacional dos Artistas e Compositores, o percurso artístico do rei da música angolana deve estar muito bem documentado e divulgado para a juventude, pelo facto do Elias dya Kimuezu ser uma das figuras mais referenciadas no music hall nacional, sobretudo na interpretação de temas em quimbundo. 
Na “Maka à Quarta-feira”, que serviu para exaltar os feitos do rei Elias, a moderadora do debate Agnela Barros disse que a vida e obra do músico deve ser motivo de estudado no sistema de ensino em Angola, como disciplina de arte, principalmente à música.
Nas suas intervenções, escritores e músicos presentes na actividade e os depoimentos Marta Santos, Kanguimbo Ananaz, Dom Caetano e Agnela Barros, foram unânimes em afirmar que falar de Elias é falar de alguém que é um espelho para a cultura nacional, principalmente na arte de cantar.
Kanguimbo Ananaz incentivou os jovens estudantes a investigarem mais sobre o músico a fim de obterem mais informações relativamente à evolução da música angolana. “Se a Marta Santos conseguiu investigar a vida do mais velho Elisa, vocês também podem”, disse, acrescentando “vocês sabem que ele estive preso na cadeia de São Nicolau, no Namibe, hoje cadeia de Bentiaba”.
Armando Rosa, representada da UNAC, disse que na sequência da “Maka à Quarta-feira” está agendado para o próximo dia 23, às 20h00, um espectáculo em homenagem ao Elias dya Kimuezu, denominado “Na Provocação do Semba”.
Visivelmente alegre e com um ar jovial, mais velho Elias prestigiou actividade  com a sua presente tendo brindado a plateia composta por músicos, escritores, amantes da música e estudantes, com algumas canções do seu reportório acompanhado pela banda Movimento.
A actividade foi animada para além da Banda Movimento, pelos cantores duo Canhoto, Isidoro Campos, grupos Kamba dya Mwenho, Yaka e Oásis.
Elias dya Kimuezu é o rei da música angolana pelos recursos poéticos e paradigma da canção escrita em quimbundo no saber da cultura popular. Nasceu no bairro Marçal, de nome próprio Elias José Francisco, a 2 de Janeiro de 1936. Aos sete anos de idade, torna-se órfão, facto que o obriga mais tarde, com 12 anos, a viver em casa da avó, no bairro Sambizanga, onde aprende a comunicar de forma fluente na sua língua materna, o quimbundo. Com uma carreira iniciada nos anos 50, na Turma do Margoso”, como vocalista principal e tocador de bate-bate, tem gravado quatro Long Play (LP) e igual número de singles, todos produzidos entre as décadas de 60 e 70, tendo em 2005 lançado o seu primeiro CD. Desde  meados da década de 60, Elias dya Kimuezu foi considerado “O Rei da Música Angolana”, pelo trabalho desenvolvido.

Tempo

Multimédia