Pinturas murais na Leba foram recriadas na beleza


8 de Novembro, 2015

Fotografia: Afonso Costa | Namibe

Os Murais da Leba tiveram, esta semana, a maior intervenção desde que começaram a ser pintados, em Agosto deste ano, com a participação de nove artistas e grafiteiros, representando três grupos de Luanda.

Trata-se de CrewsBaw, Crazy e Mortal que até quarta-feira estiveram na Serra da Leba, entre as províncias do Namibe e Huíla, para deixar as suas marcas num dos mais interessantes projectos de arte urbana já vistos em Angola.
Mais duzentos metros quadrados de parede que antes estavam degradados e pinchados com palavras obscenas estão agora cobertos com expressões artísticas que representam a cultura de várias regiões do país.
A CrewBaw, uma das pioneiras do grafite em Angola, esteve com os artistas Spent, Poste e Mambaxi, deixando as suas pinturas bem visíveis ao lado de um curandeiro, com um fundo da Serra. A Mortal, com os artistas Rafa, Els e Noop, levaram a cultura da província mais ao norte, Cabinda, pintando bakamas, mas também do sul e leste, grafitando Kapamgombe, uma comuna do Namibe, e várias máscaras tchokwe.
Nito M., Varosandro e Paiza, representantes da Crazy, deixam na Serra da Leba as Quedas de Kalandula, uma das Sete Maravilhas Naturais de Angola, da província de Malanje, bem como a representação de uma mulher da região norte. As cores da bandeira nacional e o nome do país também entram nos novos murais.
Os trabalhos tiveram a duração de seis dias e contaram com o apoio dos Governos Provinciais do Namibe e da Huíla, em particular das administrações municipais da Bibala e da Humpata. Outro importante apoio é dado pela cadeia de hotéis Chik-Chik, uma das poucas empresas que abraçou o projecto, a par da Baia das Tintas que fornece tintas, a crédito, para os artistas.
O director artístico do projecto “Murais da Leba - Angola 40 Anos”, Thó Simões, disse que a próxima intervenção vai ser feita por artistas residentes na cidade do Lubango, associados em cooperativa. “Continuamos a esforçar-nos para trazer a estes murais conceituados artistas internacionais, para que possam interagir com os artistas nacionais e conhecer os habitantes e as maravilhas desta região.”
Até ao momento, foram pintados perto de dois mil metros quadrados de parede, numa iniciativa de jovens artistas nacionais que visa celebrar os 40 anos da Independência Nacional, com a pintura de seis mil metros quadrados na Serra da Leba e a realização de um festival músico-cultural na mesma região.
O projecto de carácter filantrópico tem ainda como objectivo valorizar a arte urbana e a cultura nacional, bem como preservar o meio ambiente ao longo dos 18 quilómetros de estrada na Serra da Leba, catalogado como património e um dos principais cartões postais de Angola, promovendo o turismo.

Festival adiado


O Festival da Leba, promovido pelo projecto “Murais da Leba-Angola 40 Anos” na Praça das Mangueiras, província do Namibe, foi adiado sem data, informou o conceptor do projecto, Vladimir Prata, que explicou que a iniciativa inicialmente estava prevista para os dias 6, 7 e 8 de Novembro, e que marcaria a inauguração das pinturas murais na Serra da Leba, não é possível por razões financeiras, já que até ao momento não foi encontrado um parceiro para patrocinar o festival.
O Festival da Leba, avaliado em quatro milhões de kwanzas, pretende juntar num mesmo espaço uma feira de artesanato, exposição de artes plásticas, teatro, dança e uma maratona musical com vários artistas nacionais. O local escolhido situa-se perto da Serra da Leba, na Estrada Nacional 280, que liga as províncias do Namibe e da Huíla.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA