“Poeta dos Pés Descalços” quer mais acções literárias


26 de Abril, 2017

Fotografia: Henri Celso|Angop

O escritor Ângelo Reis “Poeta dos Pés Descalços” disse, na segunda-feira, em Luanda, que deve haver mais acções literárias, com vista a despertar o surgimento de talentos e autores, com a finalidade proporcionar maior qualidade na literatura nacional.

A afirmação  foi feita  à  Angop, à margem da  apresentação da reedição do seu livro “Um dia depois de amanhã”, no Camões - Centro Cultural Português, em Luanda, numa promoção do Movimento Lev’Arte.
Segundo  o escritor, urge   haver mais acções, cujo objectivo é promover actos literários, quer a nível da cidade de Luanda, como nas outras províncias do país, com vista a contribuir para o crescimento da literatura nacional.
Para  o escritor, embora  exista uma dinâmica em termos de aparecimento de novos autores, é preciso criar acções cuja finalidade é concorrer para o enriquecimento da  literatura angolana.
Ângelo Reis nasceu em Luanda, em 1978, no seio de uma família de artistas (tia-avó artista plástica e pai poeta-declamador). Desde cedo demonstrou tendência e inspiração para o mundo das artes, tendo integrado um grupo de música Rap, em finais da década de 80. É co-fundador do Movimento Lev’Arte. Em 2007, juntamente com Kussi Bernardo (Kardo Bestilo), desenvolve o Projecto Misturas, tendo participado na antologia de poemas “Palavras”, que engloba diversos poetas angolanos.
Em 2013, participa na Antologia Poética da obra “Raízes”, uma união Brasil-Angola. Em 2015, participa numa Antologia Poética de vários poetas de África. É autor de três álbuns de poesia musical intitulados “O Casamento entre o Semba e a Poesia”, “Projecto o Fado e a Poesia” e “Memórias de Agostinho Neto”.
Lançou, em 2015, a sua primeira obra de poesia intitulada “Um Dia Depois do Amanhã”, com chancela da Editora Acácias.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA