Cultura

Polónia apoia a protecção dos bens de Mbanza Kongo

Fernando Neto | Mbanza Congo

A República da Polónia vai apoiar o processo de conservação e protecção do acervo histórico material e imaterial da cidade de Mbanza Kon-go, província do Zaire, elevada em 2017 à categoria de Património da Humanidade pela Unesco.

Embaixador Piotr Mysliwiec anunciou a ajuda da Polónia
Fotografia: Garcia Mayatoko |Edições Novembro | Mbanza Congo

A revelação foi feita à imprensa, domingo, em Mbanza Kongo, pelo embaixador polaco acreditado em Angola, Piotr Mysliwiec, à margem do encontro com as autoridades da província do Zaire, para definir as possibilidades e os mecanismos de apoio polaco para a preservação do conjunto de monumentos e sítios, que formam o Centro Histórico da cidade de Mbanza Kongo.
“Espero que a Polónia possa ajudar a preservar, de forma significativa, as memórias do passado de Mbanza Congo, antiga capital do Reino do Kongo. O tipo de ajuda das autoridades polacas pode ser de ordem financeira ou em especialistas de cultura”, afirmou Piotr Mysliwiec, que garantiu dialogar também com a direcção do Ministério da Cultura sobre o tema.
O embaixador polaco  em Angola visitou alguns monumentos e sítios históricos da cidade de Mbanza Kongo, nomeadamente Kulumbimbi, a primeira igreja católica construída a sul do Saara, o Museu dos Antigos Reis do Kongo e a árvore milenar, denominada “Yala Nkuwu”.
“Na minha terra, diria que a maior parte dos monumentos históricos são ligados à religião, mormente igrejas e conventos que fazem parte da nossa história e cultura. Por essa razão, acho que a preservação de monumentos de Angola também vai ajudar a promoção da cultura comum do povo e elevar o orgulho da nação, porque são raízes do povo angolano”, disse.

Tempo

Multimédia