Cultura

Portugal: Embaixada de Angola cria exposição virtual

Uma exposição virtual com imagens de trabalhos de vários criadores angolanos foi inaugurada pela Embaixada de Angola em Portugal e está patente até ao dia 16 de Setembro, na página da instituição, como forma de mostrar a arte em todas as facetas do mosaico angolano.

Nelo Teixeira é um dos artistas convidados da mostra
Fotografia: Eduardo Pedro | Edições Novembro

Do urbano ao rural, do triunfo da cor à nobreza de materiais telúricos, que dão à produção artística uma expressão que ultrapassa largamente as fronteiras de Angola e de África, a mostra é a primeira do género, para o adido cultural da Embaixada de Angola em Portugal, Luandino Carvalho.

“São as imagens das obras dos 32 criadores angolanos heterogéneos, plurais e com a arte com o mesmo denominador comum, que responderam ao desafio”, adiantou o adido cultural, para quem a exposição “mos- tra de uma forma exuberante a oficina solitária do criador e as marcas, mais ou menos profundas, na engrenagem do tempo acorrentado a um confinamento inútil às técnicas e à inspiração, mas protectora da vida que todos queremos prolongar, viver em grande e esbanjar na paleta, nos materiais e nas ferramentas”, destacou.

Luandino Carvalho adiantou, ainda, que, dependendo da evolução da pandemia, estão a pensar na possibilidade de realizar, numa galeria, uma exposição verdadeira com as obras físicas. “As redes sociais têm reduzido este distanciamento e a arte e a cultura têm sido um elixir para combater os efeitos nefastos a nível psicológico e social de cidadãos de todo o mundo”, reforçou.

Para o embaixador de Angola em Portugal, Carlos Alberto Fonseca, a arte e a vida fazem parte do quotidiano das pessoas em todos os espaços e circunstâncias. “A exposição virtual, que acontece em tempos de pandemia e no ano em que se comemora o 45º aniversário da Independência de Angola, traz a pú-blico o talento dos criadores angolanos e mostra que apesar das restrições, o talento angolano não se inibiu”.

Tempo

Multimédia