Potencial artístico do Bengo explorado em sarau cultural

Alfredo Ferreira| Caxito
1 de Setembro, 2014

Fotografia: Jornal de Angola

O trovador Sakatuala e o poeta Resider foram as principais atracções de um sarau cultural, realizado ontem, em Caxito, Bengo, para mostrar ao público o actual nível artístico da província.

A actividade, realizada sob o lema “Arquitecto da paz e a nação”, em alusão a mais um aniversário do Presidente da República, esteve especialmente assente na riqueza cultural do Bengo, com os jovens artistas a interpretarem temas assentes no próprio folclore.
Sakatuala foi o mais aplaudido pelo público por ter interpretado canções baseadas em histórias da tradição oral, mas com inovações estéticas, arranjos e muita criatividade. O Resider também esteve entre as atracções do sarau pela declamação do poema “Dos Santos, um pai e um homem”. Além de poesia e trova, o sarau contou ainda com espectáculos de dança, apresentado pelo Bailados do Jacaré Bangão, e teatro, encenado pela Companhia Jacaré Bangão. O quotidiano foi a base das duas actuações, com enfoque especial a aspectos como o ciúme e as traições. A coreografia do espectáculo de dança, que mostrou um pouco do modo de vida dos Dembos, Pango Aluquém e Dande, através das suas técnicas de caça e pesca, esteve assente principalmente na cultura local.
Os grupos Bailados do Jacaré Bangão e a Companhia de Teatro Jacaré Bangão são os representantes da província do Bengo no FENACULT.
Para o professor de dança do Bailados do Jacaré Bangão, Miguel Sousa, é importante que exista mais aposta do empresariado nesta arte, assim como sejam criadas mais e novas oportunidades para os grupos locais se imporem no mercado.
A vice-governadora para o sector político e social e também coordenadora provincial do FENACULT no Bengo, Maria Augusto Peixoto, disse que o sarau ajudou a mostrar uma parte do potencial artístico local, assim como provou que é possível explorar a tradição dentro das novas tendências modernas.
Quanto às actividades do FENACULT a nível do Bengo, a responsável pediu uma maior participação de todos os habitantes da província, de forma a dar ao festival a devida abrangência.
O Fenacult vem promover uma reflexão sobre a riqueza e diversidade da cultura angolana, uma das mais proeminentes de África, exaltando criações multidisciplinares por via de espectáculos, feiras e exposições de produtos artísticos, palestras e seminários, desfiles.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA