Praça da Independência regista forte diminuição


9 de Julho, 2016

A publicação de discos de artistas nacionais no Praça da Independência registou um decréscimo, durante o primeiro semestre do ano em curso, em comparação ao mesmo período do ano passado.

De acordo com o director municipal da Cultura e Turismo de Luanda, que gere o espaço, neste semestre, foram lançadas no mercado 12 discos, contra 27 do ano passado, o que demonstra as dificuldades que os artistas estão a atravessar.
Manuel Gonçalves, que falava à Angop,  precisou que este mês não há previsão de qualquer lançamento de discos naquele espaço.
O director apontou a falta de divisas na economia nacional como estando na base dessas dificuldades, uma vez que os discos são produzidos no exterior do país.
A diminuição da cedência de patrocínios, por parte de empresas e entidades particulares, aos cantores angolanos pode, igualmente, estar na origem da falta de publicação de discos no país. Este ano, enfatizou, alguns artistas marcaram datas para fazerem as suas apresentações, mas tiveram que desmarcar pelos motivos acima referenciados.
O responsável informou que a maior incidência de publicação de discos ocorre entre os meses de Outubro, Novembro e,  sobretudo, Dezembro, mas, este ano, não se vislumbram grandes apresentações  de discos. Segundo Manuel Gonçalves, o maior período registado foi em 2013 com um total de 98 obras, em 2014 foram 60 e em 2015 houve um registo de 64 discos lançados no mercado.
As sessões de lançamento de discos iniciaram em 2000,  na Portaria da Rádio Nacional, e, oito anos depois, o serviço foi transferido para a Portaria do Cine Atlântico, passando em 2008 para a Praça da Independência.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA