Cultura

Prémio António Jacinto atribuído a obra “Pintura dos Ecos”

Mário Cohen

O livro “Pintura dos Ecos”, de Ema Nzadi, da província do Uíge, foi o vencedor do Prémio António Jacinto 2019, informou, na quinta-feira, no Museu Nacional de História Natural, em Luanda, o júri desta edição.

Autor Ema Nzadi, vencedor da presente edição do prémio
Fotografia: Paulo Mulaza | Edições Novembro

O vencedor recebe, pelo feito, o valor de um 1.963.070 kwanzas, além de ter o livro editado e publicado. O secretário de Estado da Cultura para as Indústrias Culturais, João Constantino, fez a entrega do diploma ao vencedor, enquanto o administrador do Banco de Poupança e Crédito, Victor Cardoso, entregou o cheque simbólico.
Para o vencedor, o prémio é um incentivo para escrita e investigação, bem como trocar mais experiências com escritores já consagrados. Ema Nzadi reconheceu que ainda tem muito a aprender e mesmo tendo vencido o prémio não se considera um escritor. “Ainda há um longo caminho para alcançar este feito”, disse.
O prémio, na óptica do secretário de Estado, além de uma homenagem ao escritor António Jacinto a vasta obra publicada, cujo legado deve ser parte importante da literatura nacional, é um incentivo à criação literária, à promoção da leitura e ao surgimento de novos autores. 
“O concurso constitui um acto importante no âmbito das acções do programa do Ministério da Cultura, através do Instituto Nacional das Indústrias Culturais”, explicou.
João Constantino reconheceu que ainda há muito a ser feito no domínio das políticas do livro e do incentivo à literatura, mas “o Ministério da Cultura vai continuar a trabalhar arduamente com o objectivo de desenvolver cada vez mais o sector.”
O secretário de Estado incentivou o vencedor, assim como outros jovens, a continuarem a apostar na promoção das artes angolanas, não só no domínio da literatura, mas noutros de forma a ajudarem na preservação da identidade nacional. “É preciso que todos, inclusive os parceiros do Estado, continuem a olhar a cultura como um factor essencial ao crescimento social e económico”, concluiu.
Emanuel Vieira, de 30 anos, é técnico médio em Ciências Humanas, curso através do qual descobriu a veia artística. É membro fundador do Movimento Litteragris e seu o representante na província do Uíge.
O Prémio Literário António Jacinto, de periodicidade anual, visa incentivar o surgimento de autores e novas obras literárias, da autoria de angolanos. Em 2018, o vencedor foi Oliver Quiteculo, com a obra “Mahamba”.

 

Tempo

Multimédia