Prémio de Cultura serve de incentivo


4 de Novembro, 2014

O director da Cultura na província do Huambo, Pedro Chissanga, disse ontem que o Prémio Nacional de Cultura e Artes, na categoria de dança, atribuído ao grupo Katyavala, do município do Bailundo, é um motivo de orgulho e de incentivo para maior preservação de outras danças locais.

O grupo Katyavala merece ser motivo de estudo, por conseguir manter-se há mais de 30 anos na vanguarda da preservação de danças milenares, como o olungondo e onhatcha, disse.
Motivo de preocupação é o grupo ser composto apenas por adultos, sem jovens para passar o testemunho. A Direcção da Cultura tem incentivado os grupos a passarem o testemunho às novas gerações, para que dêem continuidade ao património imaterial da província, assim como ajudar a formar novos dançarinos.
O grupo Katyavala, que tem o nome do fundador do Reino do Bailundo, é o responsável pela preservação das raízes do Planalto Central, disse.
Fundado em 1983, é um dos mais antigos da província, sendo composto por 30 elementos. Antes conhecido por Combatente Deolinda Rodrigues, adoptou em 1989 o nome de Katyavala.
O grupo apresenta nas suas actuações vários estilos de dança, como o onhatcha, okondonda, otchisosi, sawaya, olundongo, katita e elisemba. Estas danças têm o objectivo principal de preservar os traços tradicionais de “Mbalundu”, o seu simbolismo e rituais.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA