Prémio Design of the Year para arquitecta iraquiana


7 de Julho, 2014

Fotografia: DR

A arquitecta iraquiana Zaha Hadid foi distinguida com o prémio Design of the Year, atribuído pela primeira vez a uma mulher, devido ao seu polémico projecto Heydar Aliyev Center, construído em Baku, no Azerbaijão.

O edifício foi distinguido pelo painel de jurados do Museu de Design de Londres, assim como é alvo de diversas críticas desde a sua construção, por originar despejos forçados em massa. “É um edifício 'sexy', que faz um retrato do dilema moral dos arquitectos”, disse.
Zaha Hadid mostrou-se “absolutamente feliz” pela distinção. “O Heydar Aliyev Center é uma paisagem arquitectónica onde os conceitos de fluxo espacial se tornam bastante reais e criam um novo tipo de espaço cívico para a cidade.”
Os direitos civis e humanos são um tema que rodeia o projecto, terminado em 2012, em especial pelo facto de a sua implantação na capital do país ter sido conseguida através de despejos forçados e ilegais de quase 250 casas, como denunciou a Human Rights Watch.
De acordo com o “Financial Times", Zaha Hadid disse que projectou o edifício para a comunidade e não para os seus líderes. O mesmo jornal escreve agora que este é um prémio que “expõe o dilema moral dos arquitectos” e a sua responsabilidade ao trabalharem para “regimes autoritários”.
O editor do “Architects Journal", Rory Olcayto, admitiu a beleza do edifício como exemplo da arquitectura contemporânea, “mas parece estranho que o Design Museum celebre um edifício que honra um antigo ditador da polícia secreta russa, o KGB”.
O Twitter serviu também como janela para as críticas e estranheza de alguns dos pares de Zaha Hadid, como Russell Curtis, vencedor do prémio de arquitecto emergente de 2014 atribuído pelo Royal Institute of British Architects, que escreveu ser “ingénuo acreditar que arquitectura e política são mutuamente exclusivos”.
A criatividade que a arquitecta implantou em Baku é, segundo o crítico de arquitectura e design do “Guardian", Oliver Wainwright, “a mais completa realização da visão” de Zaha Hadid sobre o espaço fluido.
“É belo, é inspirador, é a visão clara de um génio singular”, disse o presidente do júri dos Designs of the Year, Ekow Eshun. “O júri sentiu que para Zaha o prémio é um sinal de maturidade internacional.”
Este foi também o primeiro projecto de arquitectura a receber a distinção do museu londrino, que no passado premiou a tocha olímpica, o cartaz alusivo à primeira campanha presidencial de Barack Obama, desenhado por Shepard Fairey, ou o site remodelado do Governo britânico. Zaha Hadid foi também a primeira mulher a receber o prestigiado Prémio Pritzker de arquitectura, em 2004.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA