Cultura

Prémios condicionados às verbas no Cuando Cubango

Carlos Paulino | Menongue

Seis milhões de kwanzas é o montante mínimo para a realização do desfile provincial do Carnaval, edição 2019, na província do Cuando Cubango. A informação foi apresentada, ontem, pelo chefe de Departamento de Arte e Património Histórico, do Gabinete da Cultura, Turismo, Juventude e Desportos, Pedro Amaral.

Carnaval custa seis milhões de kwanzas no Cuando Cubango
Fotografia: Nicolau Vasco| Edições Novembro | Cuando Cubango

Em declarações ao Jornal de Angola, o responsável disse que o valor servirá para a entrega de prémios aos grupos vencedores do Entrudo.

Disse que a instituição solicitou o montante ao governo provincial, para que os grupos possam ser melhor premiados comparando com as edições anteriores. Na edição passada, o vencedor da classe de Adultos recebeu 300 mil kwanzas, o segundo 250 mil e o terceiro 200 mil. Na classe Infantil, o grupo vencedor teve direito a 300 mil kwanzas, o segundo 150 mil, o terceiro 100 mil e o quarto 80 mil kwanzas.
“Se pretendemos realizar um Carnaval de verdade, não podemos continuar a dar estes prémios aos grupos”, disse, acrescentando ser essa a principal razão que tem contribuído negativamente para a desistência e fraca participação de grupos.
Pedro Amaral acrescentou que a quantia monetária reduzida que o gabinete provincial tem recebido para a realização do Entrudo fez com que, dos nove municípios que compõem o Cuando Cubango, apenas participem os grupos de Menongue, Cuchi e Cuito Cuanavale.
“Por falta de apoios, não temos meios para atender as despesas em termos de alojamento e alimentação para que os grupos carnavalescos de Mavinga, Rivungo, Cuangar, Calai, Dirico e Nancova possam participar no desfile provincial.”
Até ao momento, estão inscritos para o desfile provincial 19 grupos, dos quais 13 infantis e seis de adultos, todos do município de Menongue.
Pedro Amaral disse que aguardam que nos próximos dias haja outras inscrições, dos grupos do Cuchi e Cuito Cuanavale, que contribuem para que o Entrudo tenha uma dimensão provincial.
Em 2018, os grupos não receberam tecidos para a produção da indumentária, proveniente do Ministério da Cultura, que anualmente apoia os grupos nesta área, “este ano, esperamos que o Ministério possa enviar os tecidos para que os grupos preparem melhor os trajes.”

Tempo

Multimédia