Cultura

Preto Show faz festa no Cine Atlântico

Roque Silva

Preto Show realizou na noite de sábado, no Cine Atlântico, em Luanda, um espectáculo memorável no qual todas as suas canções foram acompanhadas pelo público, com sala cheia, maioritariamente adolescentes e jovens na plateia: o cantor viu algo inédito acontecer na sua curta, porém, exitosa carreira.

Cantor ficou surpreendido com a sala cheia e postura dos fãs
Fotografia: Eduardo Pedro | Edições Novembro


Preto Show ficou perplexo ao ver os espectadores a vibrarem sempre que começasse a cantar um dos oito temas que interpretou e que compõem o seu CD, “Panamera”, para o qual também foi designado o espectáculo: “Vou matar lá um”, “Vai acabar com meu love”, “Tá lá dar” “Baixa mais um pouco”, “Vai rolar”, “Hoje”, “Abre o motor” e “Me dá na cara” são as músicas que arrancaram gritos e aplausos, sobretudo quando o kudurista Nagrelha o acompanhou na interpretação da última música, além de Yuri da Cunha. O espectáculo foi o primeiro desde que abraçou a carreira individual, depois da separação do grupo “The Groove”. “Deu para 'matar' saudades”, afirmou o cantor no final. Com o antigo grupo, que inclui Fábio Dance e Mids, o anfitrião recordou os tempos áureos do trio, ao cantarem o tema “Segura o corpo”.   Preto Show não podia esperar por uma noite melhor. A participação de outros cantores levou o espectáculo para um outro estágio. O nível de alegria aumentou quando subiram ao palco Fabious, Os Banah, Godzila do Game, Mauro Pastrana, Most Wanted, Eva Rap Diva, Mob, Young Double, Team Cadê, TRX, Zona 5, Zoca Zoca e Android Beatz e o Dj Dorivaldo Mix.
Quase todos os caminhos deram ao Cine Atlântico, que foi pequeno para albergar os apreciadores das músicas do jovem cantor que até há cinco anos era um mero desconhecido do panorama musical angolana.

Tempo

Multimédia