Processo histórico é analisado na UEA


30 de Setembro, 2015

A reconstrução do processo histórico-social angolano em “De Rios e Guerrilheiros - O Livro dos Rios”, de Luandino Vieira, “Noites de vigílias”, de Boaventura Cardoso e “O Reino das Casuarinas”, de José Luís Mendonça, é abordada hoje na União dos Escritores Angolanos (UEA), em Luanda.

Para a análise do tema, a UEA, na habitual “Maka à Quarta-feira”, conta com a colaboração do docente de literatura da Escola Superior Pedagógica do Bengo Joaquim João Martinho.
Sobre o assunto, Joaquim João Martinho revela que vai fazer uma análise dos sintomas caracterizadores da “paródia da História”, nas obras de Luandino Vieira, Boaventura Cardoso e José Luís Mendonça, com o propósito de reflectir como esses autores ficcionam a memória colectiva angolana e aferir de que contexto o lócus enunciativo emerge, uma vez que o recurso à História pode constituir uma forma de rebater a nação.
“Partindo da hipótese de que a escrita desses cultores se enquadra nesse ângulo, adoptou-se  um enquadramento metateorético comparativista, buscando a escrita literária como suporte mimético das obras em análise.
Joaquim João Martinho adianta, por outro lado, pretender interrogar as causas pelas quais os autores constroem a tessitura literária calcada no processo histórico-social angolano.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA