Cultura

Produção artística debatida no Camões

Amilda Tibéria |

A preservação dos hábitos e costumes são factores fundamentais para a identidade cultural de uma nação e fonte de inspiração à produção artística, disse na quinta-feira, em Luanda, o artista plástico Francisco Van-Duném “Van”.

Francisco Van-Dúnem (à direita) fala de produção artística
Fotografia: Nuno Flash | Edições Novembro

O pintor, que participou numa mesa-redonda denominada “Identidade e produção artística - o caso ambundu ”, realizada no Auditório Pepetela,  no Camões - Centro Cultural Português, afirmou que um criador de arte é parte desse processo identitário, quando se propõe a produzir uma obra de arte que se reflicta no quotidiano dos cidadãos.
Van explicou que os artistas se tornam agentes mobilizadores para a mudança comportamental das sociedades e defensores do processo identitário. Disse que a questão das várias identidades existentes entre os angolanos permite que o país seja heterogéneo e ser, num único espaço, um conjunto de várias nações. Embora cada indivíduo se sinta pertença de um determinado grupo ou subgrupo étnico no país, Van explica que “acabamos sempre por nos rever na grande identidade nacional.”
O tema “Identidade e produção artística”, disse, é e tem sido sempre discutido não apenas no país, mas também noutros.
“Precisamos de continuar a criar espaços onde possamos desenvolver acções que nos permitam reflectir com alguma profundidade sobre o tema.”, disse o artista plástico Francisco Van-Dúnem.

Tempo

Multimédia