Produções brasileiras receberam distinções


19 de Abril, 2015

As produções brasileiras “A Despedida”, de Marcelo Galvão, e “'Alemão”, de José Eduardo Belmonte, foram distinguidos no Festival de Cinema Itinerante da Língua Portuguesa, que decorreu durante uma semana  em Lisboa.

“A Despedida”, inspirado em factos reais, foi eleito a melhor longa-metragem pelo júri desta edição. Nelson Xavier, protagonista deste filme, no papel de um homem de 92 anos que quer reviver o seu amor por uma mulher, 55 anos mais nova, foi eleito o melhor actor.
O cineasta José Eduardo Belmonte conquistou o prémio de melhor realizador com o filme “Alemão”, também inspirado na realidade, a partir da história da invasão das favelas Complexo do Alemão em 2010. Do elenco fazem parte António Fagundes, Cauã Reymond e Caio Blat.
Priscila Fantin, no papel de uma reclusa no drama “O Jogo de Xadrez”, recebe o prémio de melhor actriz.
“Urbanos” (Brasil), de Alessandra Nilo, foi a melhor curta-metragem de ficção, e “Setenta” (Brasil), de Emília Silveira, sobre o reencontro com alguns presos políticos que em 1970 foram trocados pelo embaixador da Suíça e mandados para o Chile, mereceu o prémio de melhor documentário.
“Água para Tabatô”, de Paulo Carneiro, em torno da rodagem de um filme de João Viana, mereceu, para o público, o prémio de melhor documentário.
O festival começou no dia 8 de Abril, com a antestreia mundial do filme “O vendedor de passados”, realizado por Lula Buarque de Hollanda.
O festival encerrou com o filme “Não Pare na Pista: A Melhor História de Paulo Coelho”, filme de Daniel Augusto que se centra “em três momentos distintos da carreira do escritor brasileiro: a juventude, nos anos 1960, a idade adulta, nos anos 1980 e a maturidade, em 2013, quando refaz o ‘Caminho de Santiago’”.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA