Produtor incentiva intercâmbio cultural

Manuel Albano
12 de Julho, 2015

Fotografia: Luís Paulo

A importância de existir um maior intercâmbio e divulgação dos géneros musicais angolanos em Guadeloupe, tendo em conta a proeminência e aceitação dos artistas nacionais é, para o produtor Luís Paulo, essencial na abertura de novas portas naquele país.

O produtor, que participou num programa da rádio Guadeloupe Premiere, considerou essencial os artistas apostarem mais neste mercados, já que o consumo dos estilos musicais de ambos os países, zouk e semba, é muito frequente. Durante o programa, contou, os antilhanos mostraram um grande conhecimento sobre os ritmos nacionais.
Para Luís Paulo, o conhecimento que o público dos dois países têm sobre as músicas de cada um é um factor chave a ser melhor explorada pelos promotores nacionais e os de Guadalupe. “O semba, assim como o zouk, tiveram e ainda têm uma grande influência na criação de novos ritmos musicais. Os Kassav são um bom exemplo disso”, disse.
O programa radiofónico, dirigido pelo jornalista e músico antilhano, Fabrice Fanfan, serviu ainda para o produtor chamar atenção dos empresários para aumentarem a sua esfera de influências nos dois países, para além da realização de espectáculos. “São culturas muito próximas, com diversos traços identitários, que precisam de mais espaço.”
O promotor, que com Mário Santos e Mateus Adão é membro da Casa do Zouk em Angola, foi a Guadalupe a convite de Pierre Edouard Decimus, criador  do  zouk e do grupo Kassav, e Eddy Compper, produtor e promotor antilhano, em retribuição da visita destes efectuada a Angola em Junho de 2012.
Luís Paulo, que já está no país, anunciou a realização, em breve, de um novo projecto cultural, para dar a conhecer, nas Antilhas e França, a vida e obra dos heróis angolanos. O projecto, acrescentou, conta ainda com o aval da directora da Cultura e de Formação Artística de Guadalupe, Nina Gélabale. “É também uma oportunidade dos angolanos divulgarem, nestes países, informação sobre a História do país, assim como os feitos dos heróis que se notabilizaram na luta de libertação e da Independência Nacional, com destaque para Agostinho Neto, Njinga Mbande, Mandume e Hoji-ya-Henda”, adiantou o responsável. A Casa do Zouk é um dos melhores espaços para a projecção da Angola actual junto dos habitantes de Guadalupe, Martinica e Guiana, defendeu o produtor musical.
A referida instituição foi inaugurada em Luanda, em Junho de 2012, num acto que contou com o testemunho de Pierre Edouard Decimus, criador do zouk e dos Kassav, Jacob Desvarieux, guitarrista e director artístico do grupo, Luc Leandry (pianista, baixista e guitarrista), bem como de Eddy Compper (promotor musical antilhano).

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA