Profissionais de Cinema são formados em Luanda


10 de Setembro, 2015

Fotografia: Paulino Damião

O Presidente da Mesa da Assembleia-geral da Associação Angolana dos Profissionais de Cinema e Audiovisual (APROCIMA), Óscar Gil, aconselhou ontem, em Luanda, os jovens que frequentam o curso de Cinema a serem firmes nos seus propósitos.

Embora o mercado se mostre cada vez mais fechado para os profissionais angolanos, de acordo com Óscar Gil, é necessária muita persistência para seguirem uma carreira no domínio do cinema e audiovisual.
“As aberturas para produção e exibição dos nossos trabalhos continuam a fechar-se a cada ano, em benefício dos estrangeiros, por isso, a nova geração deve ponderar ao escolher a carreira de realizador ou outra especialidade da sétima arte”, indicou o realizador e produtor, afirmando que não é sua intenção desencorajar os formandos.
O Instituto Angolano de Cinema, Audiovisual e Multimédia (IACAM) está a ministrar cursos para produtores, argumentistas, operadores de câmara, actores, realizadores e editores com a duração de 30 dias.
O Secretário para a Formação da APROCIMA, Sérgio de Oliveira, revelou que após a conclusão dos cursos os formandos frequentam um estágio no Centro de Formação de Jornalistas (CEFOJOR), nas produtoras Kissama Audiovisuais e Óscar Gil-Produções, para ganharem experiência com profissionais.
A formação, acrescentou, é assegurada por angolanos, muitos dos quais deram o seu contributo para a afirmação do cinema nacional.
“Também é nossa intenção garantir a continuidade da qualidade dos filmes produzidos ao longo dos 40 anos do cinema angolano, particularmente no período de maior produção entre 1975 e 1985”, acrescentou.
Sérgio de Oliveira anunciou para Outubro o início da segunda fase do programa. Aberto a todas as pessoas interessadas, o ciclo de formação é intensivo, com uma carga de três horas diárias.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA