Proletário e Selda na Trienal


17 de Setembro, 2016

Fotografia: Kindala Manuel

Proletário e Selda animam hoje à noite, no Palácio de Ferro, dois espectáculos inseridos na programação da III Trienal de Luanda, que decorre até 30 de Novembro, sob o lema “Da utopia à realidade”.

Acompanhado por Charles Boi (viola solo), Papelo (viola ritmo), Isaac Kapachica (viola baixo), Habana Mayor (tumbas), Alex Kiwy (teclado), Cristiano (bateria), Milagre e Tira Kanda (coro), Proletário sobe ao palco Ngola às 20h30. O artista consagrado vai apresentar canções que marcaram a sua carreira de mais de 40 anos.
Por sua vez, Selda, dona de uma voz inconfundível, apresenta o segundo concerto de hoje, que tem início às 21h30, num palco que já virou tradição em Luanda. Soul music, afro jazz, blues, bossa nova e zouk love são os estilos musicais que caracterizam Selda.
Toty Sa´med (coro e guitarras), Mayo Bass (guitarra baixo), Nino Jazz (teclado) e Dilson Peter (bateria) são os músicos que acompanham a cantora na interpretação dos temas do seu primeiro disco, intitulado “Morena de cá”.
Nascido em 1957, Jaime Palana Kingungo, conhecido nas lides artísticas por Proletário, começou a actividade musical em 1970 na sua terra natal, Cuanza Sul, tornando-se conhecido por volta de 1972/73 no Bairro Caputo, município do Rangel, em Luanda, onde fazia actuações esporádicas no Centro Recreativo Maria das Crequenhas, actual Kilamba.
Já Selda, nome artístico de Guiselda Tainara Salgueira Portelinha, nascida na província do Huambo a 4 de Julho de 1989, começou a dar os primeiros passos na música aos 12 anos.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA