Cultura

Quarteto Signum encanta com música clássica

Amilda Tibéria |

A interpretação do tema “Saudades”, da autoria do cantor angolano Derito, pelo  quarteto de saxofones “Signum”, foi um dos momentos marcantes do concerto do grupo alemão realizado na noite de quarta-feira, no Museu de História Militar (Fortaleza de São Miguel),em Luanda.

Quarteto de saxofones alemão transmitiu sentimento harmónico à plateia durante o concerto
Fotografia: Paulo Mulaza ! Edições Novembro

No que foi o segundo concerto em Angola, depois da participação em Benguela no Festival Etimba, o quarteto apresentou-se bastante eufórico, com o reportório variado cujos temas interpretados transmitiram consolidação espiritual e sentimento harmónico a plateia, composta por pessoas de diferentes classes sociais.
No final de concerto, os integrantes do grupo Signum, em declarações ao Jornal de Angola, foram unânimes em dizer que a actuação despertou uma sensação diferente, porque na Alemanha o quarteto toca regularmente em festivais e em Angola actuaram para um público sentado e bastante divertido.
“Os angolanos devem continuar a ser como são, enfrentem todos dias como cada dia e acordam e deitam-se com um sorriso na alma e no coração” foi a  mensagem traduzida pelo saxofonista Erik Nestler, em nome do quarteto.
O director do Instituto Cultural Alemão, Manuel Negwer, disse que a instituição que dirige vai continuar a incentivar o gosto pela música clássica e não só, já que faz parte da missão do instituto, fundado para promover o intercâmbio cultural entre Angola e Alemanha.
“A música supera barreiras de culturas e de línguas. Angola é uma nação muito musical, por isso pensamos em trazer esses jovens, para colaborar também com os músicos da ‘Academia Obra Bela’ que são os nossos parceiros localmente” disse.
O saxofonista angolano Nanuto classificou o concerto como um grande gesto do Instituto Cultural Alemão, pois como frisou “são belos exemplos de reter, essencialmente para nova geração ver um outro lado da música que não seja angolana”.
Nanuto afirma ser necessário investir um pouco mais em iniciativas do género, porque os jovens precisam de ver e ouvir um outro lado da música, pois existe poucos instrumentistas nacionais de sopro a tocar e quanto mais concertos clássicos forem realizados, melhor é para o povo angolano.
O quarteto de saxofones Signum é formado por quatro músicos de nacionalidades diferentes nomeadamente, Erik Nestler (saxofone alto), Blaz Kempinski Sagar (saxofone soprano), Alan Luzar (saxofone tenor) e Guerino Bella Rosa (saxofone de barítono). Os músicos conheceram-se em 2006, na Alemanha, onde fundaram o grupo. Desde essa data, os quatro jovens virtuosos conquistaram os palcos das capitais de música clássica. Os seus variados repertórios são interessante e originais.

Tempo

Multimédia