Quinto CD de Sanguito sai este ano

Kindala Manuel |
28 de Fevereiro, 2015

Fotografia: Kindala Manuel |

O saxofonista Sanguito trabalha há um ano no seu novo projecto discográfico, o quinto de carreira, com previsões de chegar ao mercado nacional em finais do ano.

Em declarações ao Jornal de Angola, Sanguito disse que está a trabalhar num duplo álbum, o primeiro com sopros inéditos da sua autoria e o segundo uma miscelânea com novas roupagens de temas dos discos anteriores e músicas antigas e clássicas nacionais e estrangeiras.
O disco de temas inéditos, ainda sem título, comporta 14 temas em kizomha, rumba, bolero, kilapanga, semba e slow, mas o número de temas para o CD adicional ainda está em segredo.
Este quinto disco de Sanguito tem a participação de músicos nacionais e a conclusão está prevista para Portugal.
O saxofonista está a trabalhar com a produtora angolana Cervantes, que se ocupa da captação e produção inicial. Embora preveja o lançamento do para finais deste ano, Sanguito diz que o grande problema para a conclusão do trabalho é a falta de apoios financeiros. “Tenho tido mais incentivo de alguns amigos. Sou uma pessoa que trabalha ao longo do ano. Com o dinheiro que ganho, tento pagar, na medida do possível, os meus projectos. Não sou muito pessoa de incomodar, espero que as pessoas me reconheçam pelo contributo que tenho dado à música angolana”, salientou artista.
Sanguito acredita que se os músicos trabalharem com coerência, sinceridade e honestidade são capazes de produzir discos “com o fruto do seu trabalho, em vez de mendigarmos sempre”.
Para assegurar projectos, o músico está a construir em sua casa um recinto para funcionar aos fins-de-semana como espaço de espectáculos musicais, para os quais pretende convidar artistas consagrados e da nova geração. Manuel Bernardo Sangue, de nome artístico Sanguito, começou a tocar guitarra na Casa dos Rapazes, em Luanda. Em 1977 frequentou um curso de instrutor na Academia de Música de Luanda, onde aprendeu a tocar saxofone, trompete e piano com o professor Fernando Nunes.
Em finais dos anos 70 e início de 80, integrou o agrupamento “Petro Clave” e foi depois para “Os Merengues”. Em 1982, integrou o “Semba Tropical” e com este conjunto representou Angola em vários festivais de música na Europa e América, tendo passado também pelo agrupamento “Afra Sound Star”. 
O saxofonista conta com quatro discos no mercado  “Lentavida”,  “Mwagoleze”, “Kamba Diame” e “Passo a Passo”.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA