Quotidiano da vida urbana narrado para a dramaturgia

Mário Cohen |
31 de Outubro, 2014

As nuances da vida urbana exploradas através de uma análise crítica do quotidiano e de algumas práticas erradas, são um grande contributo às artes
cénicas nacionais, disse o crítico literário Jomo Fortunato a propósito do lançamento do livro “A Visita”, nova obra do escritor Fragata de Morais.

O crítico, que apresentou o livro, quarta-feira, na União dos Escritores Angolanos, em Luanda, disse que o título mostra a preocupação do autor em ajudar a dar outro alento ao teatro angolano, particularmente uma área como a dramaturgia, que não tem muitos trabalhos do género.
Carla, Tonecas, Dany Boy, Janota, Lucinda e Sargento Bolingô são as personagens, que através das suas aventuras e desventuras vividas num apartamento de Luanda, dão vida ao novo livro do escritor.
A ambição, o amor, o desespero e a vontade de vencer são sentimentos comuns entre as personagens do livro, que, de acordo com o escritor, procura fazer uma sátira do dia-a-dia, por meio do descobrimento das idiossincrasias da vida urbana.
O livro traz a chancela da União dos Escritores Angolanos e faz parte da colecção “Sete Egos”. Fragata de Morais tem no mercado “Ikuma Minha Terra”, “Jindunguices”, “A Prece dos Mal Amados”, “Momento de Ilusão”, “O Fantástico na Prosa Angolana” e “Batuque Mukongo”.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA