Quotidiano dos estudantes visto em memória colectiva

Adolfo Mundombe | Huambo
26 de Abril, 2016

O quotidiano dos lares de estudantes e a vida no internato para os jovens são o foco do livro “Tchivinguiro - Uma memória colectiva”, de Salvador Ferreira, que foi vendido este final de semana, na Biblioteca Provincial do Huambo.

O livro, de 191 páginas, é baseado na  experiência do autor e de algumas pessoas próximas dele  e com as quais conviveu durante o tempo de internato no Instituto Médio Agrário do Tchivinguiro, na Huíla, onde frequentou o curso de Agronomia, nos anos 1980 e 1990.
O autor disse que começou a escrever como uma forma de preservar este legado, assente em princípios como a amizade e a irmandade, hoje muito deturpados, em especial entre os jovens. “Quando escrevi o livro não tinha a mínima ideia do impacto que causaria entre as pessoas com quem partilhei os bons e maus momentos”, disse.
Para o autor, o livro é também um alerta social para determinadas práticas que estão a ser perdidas pelos jovens na sociedade moderna, onde o uso errado das novas tecnologias de informação os tem levado a deturpar os princípios básicos da cultura nacional.
Além do livro “Tchivinguiro”, o autor escreveu “Parceria Pública Privada”, que fala do empreendedorismo, e “Fotografia do Quotidiano”, uma análise do actual interesse das pessoas pelas imagens.
O livro “Tchivinguiro” já foi vendido em Luanda, Huíla, Malanje e Huambo. O autor é natural de Ndalatando e é funcionário da empresa petrolífera BP-Angola.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA