Cultura

Quotidiano luandense retratado em telenovela

Amilda Tibéria

“Muxima” é o título da telenovela de produção nacional que estreou ontem, na Banda Tv, exclusivo na Dstv na posição 693, que retrata o quotidiano da cidade de Luanda e valores tradicionais. 

Cena da telenovela angolana estreada ontem na Palanca Tv
Fotografia: Dombele Bernardo | Edições Novembro

A telenovela, com 140 capítulos, conta a história de dois homens que vivem vidas diferentes, um empresário, rico e dono de muitas empresas e propriedades, casado e com três filhos, que por culpa do seu desleixo e excesso de confiança perde tudo que mais valoriza na vida.
O outro é um trabalhador honesto, que através do esforço, da integridade e estrutura consegue tornar-se num dos homens mais ricos do país e melhorar a vida de todos os que o rodeiam.
Segundo o realizador Fernando Falcão, a telenovela retrata com fidelidade o dia-a-dia de Luanda, foca os problemas, as ambições e as ideias da nova geração.
O realizador adiantou que “Muxima” difere das outras novelas de produção nacional, por ser “completamente produzida em Angola, por angolanos e para angolanos”.
A telenovela foi gravada nas cidades de Luanda, Bengo  e Lunda-Norte.
O director-geral da Multichoice, Eduardo Constantino, regozijou-se pelo facto de ter na grelha da Dstv uma telenovela totalmente produzida em Angola. “Acreditamos que o público vai gostar da telenovela, tal como nós, pois ela é a demonstração de que conseguimos fazer boa produção de conteúdos locais”, disse.
A antestreia da telenovela,  exibida de segunda-feira a sábado, às 21h00, na Banda Tv, realizou-se terça-feira, no hotel Epic Sana, em Luanda. A cerimónia, que contou com  a presença de várias entidades ligadas aos audiovisuais, foi animada pela Orquestra Sinfónica  Kalunga e Yola Semedo.


Tempo

Multimédia