Cultura

Recreativo Kilamba supera Mundo da Ilha

Mário Cohen

O grupo carnavalesco Recreativo Kilamba, do distrito urbano do Rangel, oitavo a desfilar na competição do Carnaval de Luanda, da classe A, realizada na última terça-feira, na Marginal da Praia do Bispo, foi o grande vencedor desta edição do Entrudo na capital angolana, ao totalizar 842 votos.

Fotografia: Dombele Bernardo | Edioções Novembro

Fundado a 27 de Julho de 2015 e sob orientação do comandante Poly Rocha, o grupo apresentou no desfile central uma coreografia do estilo semba ao ritmo do tema “Mesene ya Ufunu” (Mestre) da autoria e interpretação do músico Dom Caetano.
O segundo lugar ficou atribuído ao  União Mundo da Ilha, vencedor da edição de 2017, com 840 votos . O terceiro lugar foi conquistado pelo União Njinga Mbande, com 804 votos que teve a sua exibição interrompida devido à intensidade da chuva que se abateu por Luanda no dia do desfile central do carnaval.
Durante o anúncio dos vencedores ontem na Liga Africana pelo presidente do júri, Jomo Fortunato, os responsáveis dos demais grupos da classe A mostraram-se insatisfeitos com a classificação do União Njinga Mbande que não terminou a sua exibição devido à chuva.
Na quarta posição ficou o União Kiela do Sambizanga com 796 votos, seguido do União Operário Kabocomeu, também do Sambizanga, com 714 votos. Por força do entendimento  a que a comissão do Carnaval de Luanda chegou com os responsáveis dos grupos carnavalescos, este ano, nenhum grupo da classe A desce para o escalão seguinte.
De acordo com o regulamento do Carnaval de Luanda ascendem à  classe A na próxima edição do Entrudo da capital os grupos União Povo da Semba, vencedor da classe B deste ano com 720 votos, seguido do Sagrada Esperança (725 votos), União Etu Mudietu (694 votos), União Twabixila (684 votos) e União Giza (648 votos).
Na classe infantil o troféu foi conquistado pelo União Cassules Jovens da Cacimba, com 779 votos, seguido pelo União Cassules Mundo da Ilha (725 votos), Cassules Amazonas do Prenda (719 votos) e Cassules 10 de Dezembro (711 votos).
Poly Rocha, comandante do Recreativo Kilamba, vencedor da classe A da presente edição do Carnaval de Luanda, disse à imprensa, após o anúncio dos resultados, que em Angola ainda não se dança o Carnaval porque os grupos vencedores investem muito dinheiro e o valor do prémio não compensa.
Apesar do União Recreativo Kilamba ter vencido essa edição do Carnaval, Poly Rocha reconheceu a qualidade e criatividade dos outros grupos carnavalescos que prestigiaram a sua prestação no desfile central presenciado pelo casal presidencial, João Lourenço e Ana Dias Lourenço.
O comandante do Recreativo Kilamba, que tem como rei Domingos Manuel e rainha  Lucinda dos Santos, confessou que o segredo para a conquista do primeiro título teve como base o trabalho antecipado, razão pela qual vão começar a preparar a edição 2019 nos próximos tempos.
Quanto à indemnização dos grupos que não desfilaram no sábado na Marginal da Praia do Bispo (Juventude do Kapalanga e o União 54) e os prejudicados pela chuva,União 10 de Dezembro e Njinga Mbande, Manuel Gonçalves disse que o valor vai ser acertado entre os referidos grupos e a comissão organizadora do Carnaval de Luanda.
A cerimónia de entrega dos prémios realiza-se amanhã, a partir das 15h00, na Liga Africana, na qual vão desfilar, de forma simbólica, os vencedores das três categorias e os grupos Juventude do Kapalanga, União 10 de Dezembro e o União 54, que não se exibiram devido à forte chuva. Para o próximo ano, a classe A do desfile central do Carnaval de Luanda (adultos) vai contar com a participação de 18 grupos, com a subida dos cinco primeiros da classe B.

Tempo

Multimédia