Cultura

Requalificação do centro histórico está para breve

A secretária de Estado da Cultura, Maria da Piedade de Jesus, anunciou terça-feira, em Mbanza Kongo, província do Zaire, o arranque este ano dos trabalhos de requalificação do centro histórico daquela cidade classificada em 2017 como património mundial.

Secretária de Estado da Cultura anuncia para este ano o início da requalificação do património
Fotografia: Francisco Bernardo| Edições Novembro

De acordo com a governante, existe já um orçamento disponibilizado para a requalificação de alguns monumentos e sítios históricos de Mbanza Kongo, com destaque para a antiga Sé Catedral (Kulumbimbi), Tadi Dia Bukikua, Museu dos Reis do Kongo, entre outros empreendimentos que constituem o tecido histórico-cultural desta cidade património mundial.
Em declarações à imprensa, à margem do acto provincial do Dia da Cultura Nacional, Maria da Piedade de Jesus disse que as acções estão a ser executadas pelo Ministério de tutela em colaboração com o governo do Zaire face ao cumprimento das recomendações da Unesco sobre Mbanza Kongo.
Entre as recomendações saídas da 41ª sessão do comité do património mundial da Unesco realizada em 8 de Julho de 2017, na cidade de Cracóvia, Polónia, a secretária de Estado da Cultura lembrou a transferência do actual aeroporto de Mbanza Kongo para um outro espaço, a realização anual do Festi-Kongo com envolvimento dos países que integravam o antigo Reino do Kongo, bem como a remoção das antenas das operadoras de telecomunicações.
“Estamos a trabalhar em parceria com o governo do Zaire para a execução dessas e outras acções recomendadas pela Unesco, visto que o prazo dado vai até ao ano de 2020”, referiu.
Para as obras de restauro do Kulumbimbi, por exemplo, a governante disse que será contratada, através de um concurso público, uma empresa especializada em trabalhos de reabilitação de monumentos históricos, tendo em conta as características e o material usado para a edificação da antiga Sé Catedral.
O acto, que decorreu sob o lema “Pela preservação da memória histórica, povo angolano exaltemos a cultura de paz, para a paz na cultura”, contou com a presença do governador provincial, Pedro Makita Júlia, membros do governo provincial, da administração municipal, autoridades tradicionais e religiosas e população em geral.

Tempo

Multimédia