Cultura

Respeito pela diversidade assegura a inclusão social

Roque Silva

O respeito pela diversidade cultural que caracteriza o povo angolano é o factor crucial para o garante da unidade nacional e a inclusão social, disse em Luanda, o escritor  António Fonseca.

Palestrante defende a preservação dos valores da angolanidade
Fotografia: Agostinho Narcisio | Edições Novembro

O também ensaísta fez essa afirmação segunda-feira, no Museu Nacional de História Natural, em Luanda, quando abordava o tema “A cultura como fonte de unidade e de inclusão social”, integrada num ciclo de palestras promovido pelo Ministério da Cultura, alusivo ao 17 de Setembro.
António Fonseca afirmou que para haver uma união efectiva é necessário uma renovação do exercício da democracia cultural, por meio do reconhecimento das instituições e do cidadão.
De acordo com o prelector, a paz deve-se tornar na principal formação identitária entre os angolanos de todas as origens, convicções políticas, crenças religiosas, para que se mantenha entre os angolanos o espírito de união, tolerância, do respeito pela diferença e dos valores em que assenta a democracia.
Mas, disse, a cultura tem de ser encarada com estratégia para a coesão interna da sociedade angolana.
António Fonseca que falou para uma plateia maioritariamente integrada por efectivos dos órgãos afectos ao Ministério do Interior, considerou como grande desafio traçar o caminho a seguir para preservar os valores da angolanidade perante a influência  diária das tecnologias de informação e de comunicação. “A cultura é de capital importância, pois, segundo a política cultural angolana, ela é um dos alicerces pelos quais se ergue a nação angolana. Aí sim, estaremos a comungar o sentido de unidade nacional.”

Tempo

Multimédia