"Restos e Espaços"em exposição de arte


14 de Abril, 2016

Fotografia: François Verster

“Rostos e Espaços” é o título da exposição individual do fotógrafo moçambicano Mário Macilau, a primeira em Angola, a ser inaugurada no dia 21, no Espaço Luanda Arte, pelas 19 horas, enquadrada na 1.ª edição do projecto cultural “Vidrul Convida”.

Mário Macilau é um artista africano reconhecido internacionalmente, tendo desenvolvido uma estética que não deixa qualquer espectador indiferente, refere um comunicado da organização da mostra.
O artista expõe em Luanda trabalhos das séries “The Price of Cement” (2013) e “Livingonthe Edge” (2014). A primeira mostra, a trágica realidade de meninos e meninas que trabalham ilegalmente na indústria de cimento em Moçambique.
A segunda, retrata uma lixeira no Quénia, uma das maiores no continente africano, aonde a queimada e os resíduos não tratados representam um risco grave para a saúde mas, ao mesmo tempo, uma fonte de rendimento, importante mas escassa, para milhares que vivem e trabalham na área. “Infelizmente, são temas universais em África”, sublinha o comunicado.
Mário Macilau nasceu em 1984 na capital moçambicana, Maputo, onde vive e trabalha. Num país recém-independente e durante a fase mais crítica da guerra civil, a família do artista lutou com dificuldades financeiras e deixou a província de Inhambane para Maputo, em busca de uma vida melhor.  O artista começou a trabalhar como fotógrafo em 2003 e profissionalizou-se em 2007, quando trocou o telefone celular da mãe pela sua primeira câmara. É especialista em projectos de longo prazo que incidem sobre as condições de vida e do ambiente que afectam os grupos sociais isolados. O seu trabalho tem sido reconhecido com prémios e regularmente apresentados em inúmeras exposições individuais e colectivas, tanto no país de origem, como no estrangeiro.
Mario Macilau participou em exposições individuais e colectivas, com destaque para a Pan Grupo Africano, durante a Bienal de Fotografia Africana em Bamako, no Mali, em 2011. Também participou na 6.ª Chobi Mela Festival Fotos em Dhaka, no Bangladesh, em 2011, Photo Spring em Beijing, na China, em 2011, Lagos Photo na Nigéria, em 2011, e BESFoto no Centro Cultural de Belém, em Lisboa, em Portugal, no mesmo ano.
Também integrou o elenco da Pinacoteca do Estado de São Paulo, no Brasil, em 2011, a KLM em Kuala Lumpur, na Malásia, em 2012, a Johannesburg Art Fair, na África do Sul, em 2013, Les Recontres Picha em Lubumbashi, na República ­Democrática Congo, em 2013, e Bienal Artes Actuels em Saint Dinis, nas Ilhas Reunião, em 2013.
Há cinco anos que a Vidreira de Angola (Vidrul) apoia a fotografia experimental no país de forma discreta, mas sólida. Como tal, posiciona-se como um modelo a seguir pelo mundo corporativo nacional.
“Vidrul Convida” é uma sequência natural e um complemento à plataforma “Vidrul Fotografia”. Anualmente, tem a responsabilidade e o privilégio de convidar e expor o trabalho de um fotográfo panafricano.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA