Cultura

Ritmos angolanos invadem Cazaquistão

Antóno Bequengue |

O som do batuque do ballet tradicional Kilandukilu, a trova do duo Canhoto e a melodia de Nelo de Carvalho invadem ontem o recinto da Expo Astana, no Cazaquistão, nas celebrações do Dia da Mulher Africana.

Duo Canhoto levou a trova nacional ao palco da Expo Astana
Fotografia: Daniela Grilo | Expo Angola

Depois que já o terem feito no sábado, nas comemorações do Dia Nacional de Angola na Expo 2017, a caravana artística angolana teve ontem um vez mais a oportunidade de dar a conhecer aos restantes participantes do certame um pouco mais sobre a cultura nacional.
Durante a actuação no exterior do Pavilhão Africano, o ballet tradicional Kilandukilu, os trovadores Duo Canhoto e o músico Nelo de Carvalho mostraram  o seu talento, tendo arrancado muitos aplausos dos presentes, dentre os quais da comissária da Expo de Angola, Albina Assis Africano, da presidente da Associação das Mulheres Empresárias do Cazaquistão,  Raushan Sarsembayeva, da comissária adjunta da Expo da Guiné Conackri, Fofana Deba Abdulai, do ministro do Comércio da Gâmbia, Isatou Touray , e do embaixador da África do Sul no Cazaquistão, Keitumetse Seipelo Thandeka Matthews. />Nelo de Carvalho afirmou sentir-se honrado por poder representar o país na Expo Astana 2017 apresentando o melhor do seu repertório musical. “Para mim é uma honra representar Angola, cantar as músicas do país para esta belíssima Expo que está magnífica. Para mim é sempre um prazer  conhecer  este mundo extraordinário da exposição de todos os países e ser convidado para fazer parte do dia de Angola.”
Antero Ekuikui e Guilherme Maurício, um dueto de trovadores, foram unânimes em revelar  terem ido com a missão de dar a conhecer a alma do país. “Trazemos a alma de Angola,  ela tem a diversidade e é isso que tentamos fazer a partir das raízes até às conexões modernas. Espero ter  interacção entre público e nós, artistas”, afirmou Antero Ekuikui.

Tempo

Multimédia