Sagrada Esperança venceu o Carnaval

Manuel Albano|
19 de Fevereiro, 2015

Fotografia: Kindala Manuel

O grupo União Sagrada Esperança, do Rangel, foi o grande vencedor do Carnaval de Luanda, na Classe A (adultos) e Infantil, pela segunda vez consecutiva, ao totalizar 840 e 876 pontos, respectivamente, anunciou ontem a organização.

No anúncio feito ontem, na Liga Africana, a organização informou que o Sagrada Esperança recebe três milhões de kwanzas, por vencer o desfile da Classe A, e um milhão de kwanzas pela conquista na Classe C (Infantil).
O segundo classificado da Classe A, o União 10 de Dezembro, obteve 820 pontos erecebe dois milhões de kwanzas. O terceiro, União Mundo da Ilha (811 pontos),ganha 1,2 milhões de kwanzas. O quarto, Njinga Mbandi(776 pontos)recebe um milhão de kwanzas, enquanto o quinto, Povo da Samba (761 pontos),800 mil kwanzas.
O grupo Amazona, do Prenda, foi o vencedor da Classe B, com 705 pontos, e recebe 1,5 milhões de kwanzas. O Jiza, segundo classificado (696 pontos), ganha um milhão de kwanzas. O terceiro, quarto e quinto lugar desta classe, foram ocupados pelos grupos Geração do Mar, 17 de Setembro e Café de Angola, respectivamente. Pelo regulamento do Carnaval de Luanda, os cinco primeiros grupos da Classe B ascendem à Classe A no ano seguinte, enquanto os seis últimos da Classe A, Etu Mudyetu, Domant, Dimba dya Ngola, Twafundumuka, Kabocomeu e 54, descem para a Classe B.
Na Classe Infantil, o segundo lugar foi para o grupo Cassules Kazukutas do Sambizanga, que obteve 778 pontos, recebendo700 mil kwanzas. Os Cassules dos Jovens da Cacimba, o 10 de Dezembro e o Café de Angola ficaram em terceiro, quarto e quinto, respectivamente.
Os prémios dos cincos primeiros classificados das três classes são entregues sábado, às 10h00, na Liga Africana. No mesmo dia é anunciado o vencedor do prémio BAI da Canção.
O comandante e responsável do Sagrada Esperança, Poly Rocha, disse ontem ao Jornal de Angola que os prémios conquistados são o fruto do trabalho de investigação que o grupo tem desenvolvido ao longos dos últimos anos. “O objectivo, agora, é continuar a trazer inovações para o Carnaval de Luanda, mas sem esquecer a realidade cultural nacional”, disse.
A falta de apoios aos grupos, disse Poly Rocha, é um “obstáculo” para ser ultrapassado urgentemente. “Fazer Carnaval sem apoios financeiros está a ficar cada vez mais difícil. O dinheiro que recebemos não chega para cobrir as despesas, mas mesmo assim vamos continuar a dançar com alegria e a mostrar a beleza da cultura angolana”, destacou.
O coordenador da Comissão Provincial do Carnaval de Luanda, Manuel Sebastião, disse ontem, na Liga Africana, que a organização está a estudar a possibilidade de, a partir da próxima edição, anunciar os vencedores no mesmo dia, no final do desfile de cada Classe.
 “Pretendemos fazer estas alterações para dar mais espaço aos grupos de continuarem a festa e cumprir com todos os rituais da ‘Quarta-feira das Mabangas”, justificou Manuel Sebastião.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA