Cultura

Sandra Cordeiro interpreta poemas de Agostinho Neto

Jomo Fortunato

Correspondendo aos ideias de Agostinho Neto, poeta e eminente homemde cultura, o projecto do MAAN pretendeabordar a trilogia Cultura, Cidadania e Lazer nos seguintes desdobramentos, cultura,no seu sentido lato, ou seja, na perspectiva de valorização das várias expressões culturais e artísticas, quer nacionais como internacionais, cidadania, na perspectiva de corresponder os anseios, aspirações e expectativas do cidadão perante as ofertas culturais da sua cidade, e, por último, lazer, orientando o público para os benefícios intelectuais da fruição  educativa e pedagógica do entretenimento.  

Considerada das vozes femininas mais representativas, do restrito universo do afro-jazz a cantora lançou em 2008 o CD de estreia “Tata Nzambi”
Fotografia: Edições Novembro

No ano passado, o mote da diversificação, dinamismo e proliferação da acção cultural do MAAN, ultrapassaram as expectativas, factos que tem contribuído para a modelização do conceito das formas de lazer dos visitantes do MAAN, transformando os espaços de fruição cultural em instrumentos pedagógicos de crescimento individual. Nesta senda a programação cultural do MAAN tem propiciado o conhecimento da realidade cultural angolana e internacional, numa perspectiva diacrónica, o que deu azo ao surgimento de um público fiel às propostas culturais desta importante instituição do Estado.    
A evolução no tratamento interactivo das inúmeras realizaçõesdo MAAN, junto de um público jovem, tem permitido tornar os participantes mais confiantes, críticos, criativos e seguros,  na absorção activa dos inúmeros conteúdos culturais, muitos dos quais de interesse histórico, como foi a palestraproferida pela investigadora, Loide de Almeida, que celebrou os oitenta e quatro anos do jornal “Estandarte”, fundado em 1933, o que constituiu uma singela homenagem aos fundadores e colaboradores do histórico jornal. Outro tema desenvolvido em palestra, foi a incursão sobre a vida e obra do Reverendo Gaspar de Almeida, notável personalidade da Igreja Metodista Unida, feita pelo historiador, Gabriel Vinte e Cinco. A abrangência da actual proposta da programação cultural, procurou atingir os vários estratos da sociedade angolana, de modo a potenciar o interesse de um público generalizado, apelando o contributo voluntário dos visitantes e trabalhadores do MAAN, visando a melhoria paulatina da sua programação cultural.
Destaques
Para além da multiplicidade temática das exposições, constam da programação cultural do MAAN, que vai de Janeiro a Junho, uma semana de circo francês, um ciclo de documentários sobre Agostinho Neto  evárias palestras. No entanto, os grandes destaques vão para o concerto “Sandra Cordeiro canta poemas de Agostinho Neto”, previsto para o próximo dia 8 de Março. Na sequência, está prevista a realização de uma Conferência e Exposição Documental, denominada “Lúcio Lara,  Trajectória de um Combatente”, onde parte substancial do espólio de Lúcio Rodrigo Leite Barreto de Lara, 1929-2016, conhecido por, Tchiweka, seu nome de guerra,  membro fundador do MPLA, estará disponível ao público a partir do dia 19 de Abril num projecto conjunto entre o MAAN e a ATD, Associação Tchiweka de Documentação. Outro destaque vai para a realização da “Feira da poesia angolana” no próximo dia 21 de Março, que inclui concertos de poesia cantada, recitais e debates,  certame de singular importância literária, onde a poesia angolana estará disponível através da sua história com as suas mais importantes publicações. O último destaque vai para inauguração do projecto, “Textualidades”, onde os escritores conversam com os seus leitores e expõem os seus livros. O projecto “Textualidades” terá a participação dos poetas Bendinho Freitas, Lopito Feijó, João Tala, João Maimona e Amélia Dalomba.
 
Prémio
O Memorial Dr. António Agostinho Neto criou o “Prémio de Poesia no Feminino, Um Bouquet de Rosas para Ti”, que como objectivos incentivar a produção de obras originais de escritoras angolanas e estrangeiras e destina-se a galardoar três obras inéditas de poesia,  exclusivamente no feminino, que não tenham sido premiadas em outro concurso.
A primeira edição do Prémio distinguiu as seguintes obras e respectivas autoras, “Março entre meridianos” de Muhatu, pseudónimo literário de Luísa Clara Cartaxo, primeiro prémio, “Rumorosas sílabas, simetrias de mulher”, de Marquita 50, pseudónimo literário de Cíntia Eliane Gonçalves André e “Seios e ventres ” de Kanguimbo Ananás, pseudónimo literário de Maria Manuela Cristina Ananás, vencedora do terceiro prémio. Assinaram a acta do Júri uma geração jovem de professores e estudiosos da literatura, Domingas Monte, Presidente do Júri, Hélder Simbad e Pombal Maria.

Memorial
No dia 17 de Setembro de 2012, o Ex-Presidente da República Eng.º José Eduardo dos Santos procedeuà inauguração do edifício hoje denominado Memorial Dr. António Agostinho Neto, com o objectivo de perpetuar a memória do primeiro Presidente de Angola. Com uma área de dezoito hectares, o Memorial tem um bloco central que comporta o sarcófago, onde repousam os restos mortais de Agostinho Neto, museu, galeria de exposições, salas multiuso, administração, videoteca, biblioteca multimédia, centro de documentação, lojas e um espaço para autoridades, adjacente à tribuna presidencial exterior. Na ala esquerda do edifício, encontram-se uma galeria de exposições, oficinas, torre de imprensa, serviços de apoio e cafetaria. Na ala direita o visitante pode encontrar uma sala de conferências multi-funcional, salas de pesquisa, internet e de formação.

Cantora sofre influência dos pais

Filha de António Eduardo Cordeiro Neto e de Eva João da Silva Lemos, Sandra da Silva Cordeiro Silva nasceu em Luanda no dia 23 de Abril de 1986. Considerada uma das vozes femininas mais representativa do restrito universo do afro-jazz, Sandra Cordeiro vem edificando a sua carreira desde o lançamento do seu CD de estreia, “Tata Nzambi”, 2008.
Durante a sua infância, Sandra Cordeiro ouvia, influenciada pelos gostos musicais do seu pai, cantores conhecidos da música inglesa, soul music norte-americana, incluindo reputados compositores de música clássica, desde Mozart, Bach, e Beethoven, passando pelos carismáticos, Elton John, Bobby Macferrin, Frank Sinatra, e Nat King Cole. 
Cantora e compositora, Sandra Cordeiro despertou para o canto aos doze anos de idade, quando foi convidada por uma amiga a aderir o grupo coral da Igreja do Carmo. Nesta altura, destacou-se em relação aos demais irmãos da Igreja, e, gratificada pela experiência adquirida e entrega demonstrada, passou de corista a solista da sua congregação religiosa. 
Sandra Cordeiro começou então a estudar piano e canto lírico na adolescência, ainda na Igreja do Carmo, e subiu ao palco pela primeira vez em 2006, no concurso “Estrelas ao Palco” da TPA, Televisão Pública de Angola, tendo conquistado o quinto lugar, tinha então vinte anos. “Luandense”, o seu segundo CD, foi lançado em 2013, e inclui as canções: “Fusão da Terra”, “Life”, “Luandense”, “Um beijo teu”, “Esquece”, “Me dê amor”, “Whisper”, “Vou Viver”, “Talvez um dia”, “ Ji minina”, e “É difícil ser feliz”.
No âmbito da programação do MAAN, Sandra Cordeiro vai revisitar canções sobre poemas dos livros, “Sagrada Esperança” e “Renúncia Impossível” do poeta Agostinho Neto, no âmbito da entrega dos Prémios de Poesia no Feminino “Um bouquet de rosas para ti”, um projecto do MAAN, em homenagem à escritora Maria Eugénia Neto.

Tempo

Multimédia