Sociedade chamada a colaborar

Kayila Silvina | Cuimba
13 de Janeiro, 2016

Fotografia: Garcia Mayatoko| Cuimba

A classificação da histórica cidade de Mbanza Congo a Património Mundial da Humanidade da Organização dos Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura (UNESCO) depende dos esforços de toda a sociedade angolana, afirmou ontem a vice-governadora provincial para o Sector Técnico e Infra-estruturas do Zaire.

Ao falar no município do Cuimba, no acto provincial do Dia Nacional da Cultura, Ângela Maria Diogo solicitou à população do Zaire para participar nos trabalhos do projecto de inserção de Mbanza Congo na lista do Património Mundial.
Ângela Maria Diogo explicou que o centro histórico de Mbanza Congo já foi classificado como Património Cultural Nacional em Junho de 2013, um dos requisitos para a classificação como Património Mundial da Humanidade.
A entrega do “dossier” final ao Comité do Património Mundial da UNESCO, com sede em Paris, está prevista para este mês.A equipa de especialistas é constituída por responsáveis do Instituto Nacional do Património Cultural e por técnicos das Universidades de Évora e Coimbra (Portugal), Ghent (Bélgica) e de Yaoundé (Camarões).
O projecto para a inscrição da cidade de Mbanza Congo na lista do Património Mundial, denominado “Mbanza Congo-Cidade a Desenterrar para Preservar”, foi lançado em 2007 pelo Ministério da Cultura.
Ângela Diogo solicitou à população que  conserve os  monumentos históricos da província, nomeadamente Yala-Nkuwu, Kulumbimbi e o Museu do Reino do Congo.
“A cultura constitui a essência da nossa identidade angolana, fonte da inovação e da criatividade dos povos”, disse Ângela Maria Diogo, que pediu aos pais e encarregados de educação, assim como às autoridades tradicionais para transmitirem os hábitos, usos e costumes às gerações vindouras.
A vice-governadora provincial apelou à população para evitar   actos de vandalismo contra bens públicos construídos pelo Governo. Durante o acto provincial do Dia da Cultura Nacional, Ângela Diogo entregou certificados de mérito aos agentes culturais e músicos da região que mais se destacaram ao longo de 2015.
O representante  das autoridades tradicionais, Afonso Mendes, louvou os esforços do Governo provincial na construção de infra-estruturas sociais a nível de todos os municípios da região, tendo elogiado o interesse dos jovens pelo Museu do Reino do Congo, com vista a obterem maior conhecimento sobre a História do reino antes da chegada dos portugueses.
Uma exposição de artesanato, música, danças e jogos tradicionais marcaram as actividades do Dia da Cultura Nacional no Zaire.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA