Cultura

Sons angolanos animam Semana da Francofonia

Mário Cohen

Ritmos e sons angolanos interpretados pela dupla Nayela Simões e Toty Sa’Med animaram na noite de quinta-feira, na Embaixada da Bélgica em Angola, no bairro Miramar, em Luanda, um concerto inserido nas festividades da Semana Francófona.

Dueto interpretou entre outros o clássico “Mona ki ngi xica”
Fotografia: Contreiras Pipa | Edições Novembro

Durante o concerto, Nayela Simões e Toty Sa’Med interpretaram temas como “Ne me quitte pas”, de Jacques Brel, “La vie en rose”, de Edith Piaf, e “Mona ki ngi xica”, um clássico da música popular angolana.
O evento, que juntou dois cantores angolanos da nova geração, teve a colaboração da Alliance Française e contou com a presença de vários embaixadores francófonos acreditados em Angola.
A iniciativa homenageou Charles Aznavour, cantor, letrista e actor francês. Autor do tema “La bohème”, Charles Aznavour foi um dos músicos internacionais mais famosos, tendo participado em cerca de 60 filmes e compôs 850 canções. Faleceu a 1 de Outubro, em França, aos 94 anos. O concerto foi realizado em alusão à 17.ª Cimeira da Francofonia, que tem periodicidade bienal, com o objectivo promover o intercâmbio entre as culturas e contribuir, de forma geral, para o desenvolvimento da diversidade cultural francófona.
Nayela Simões é uma jovem cantora que, em 2015, participou no primeiro The Voice Africa, gravado na África do Sul. Tem feito vários espectáculos no país e na África do Sul. A cantora também toca guitarra.
Toty Sa’Med é um intérprete e compositor da nova geração cujas canções foram influenciadas pelos estilos dançantes, além do rock psicadélico e do jazz.
Desde cedo, começou a produzir instrumentais de rap, kuduro e kizomba, mas a paixão pelo semba da geração do N’gola Ritmos e da música popular brasileira levou-o a abandonar as experimentações musicais.

Tempo

Multimédia