Cultura

SSP regressa aos palcos com digressão ao Índico

O grupo rap SSP prepara o regresso aos palcos moçambicanos para dois espectáculos nos dias 3 e 4 de Novembro, 18 anos depois da última paragem por este país do Índico, anunciou, em Luanda, um dos integrantes do quarteto.

Grupo de rap influnciou o surgimento de outras formações musicais no final do Século XX em todo o país
Fotografia: Paulino Damião | Edições Novembro

Em declarações à Angop, a propósito da preparação do quarteto, o músico Big Nelo garantiu que os fãs moçambicanos vão ter a oportunidade de ouvir e reviver bons momentos com temas como “Não vale a pena”, “Olhos café”, “Deus”, “Canta Comigo essa keta” e “Chama por mim”. No seu retorno aos palcos moçambicanos, o quarteto formado por Big Nelo, Jeff Brown, Kudy e Paul G vai ainda levar na bagagem um cardápio musical onde se inclui os temas “Eu só quero te amar”, “Etu mwangola”, “É bom”, “Táctica lírica”, “Abandalho”, “Te quiero”, “Playa”, “Deus”, que marcaram a era SSP no começo da década 90 a 2000.
“O último concerto que fizemos em Moçambique inspiramos muitos jovens moçambicanos e marcamos uma geração. Depois de mais de 18 anos vamos regressar para dois grandes concertos memoráveis e únicos. Temos as memórias de Moçambique bem guardadas porque o nosso primeiro disco de prata recebemos em Maputo, em 1998, graças ao carinho que sempre tiveram em relação aos SSP”, disse o artista.
Satisfeito com a aparição no Festival Sons do Atlântico, Big Nelo adiantou que tudo vão fazer para mostrar, mais uma vez, que continuam a ser uma referência no mercado do hip hop.
“As pessoas querem ouvir a música que marcou os anos 90 e que influenciou muitos adolescentes e jovens a cantar. Sentimo-nos felizes por fazermos parte de uma era, termos marcado uma época e termos as nossas impressões digitais no mundo da música em Angola”, reforçou o artista.
O grupo, que reapareceu nos palcos nacionais no passado dia 6 de Maio no Festival Sons do Atlântico, está também a tratar de deslocações a Portugal e Cabo Verde.
Formado em 1992 por Big Nelo, Paul G, Jeff Brown e Kudy, em Agosto do mesmo, com um estilo musical marcado pelo rap e influenciado por vários outros géneros musicais, como jazz, soul, funk, salsa e raggae, iniciaram as suas actividades com actuações ao vivo.
Quatro anos depois, o grupo coloca no mercado o primeiro CD intitulado “99 por cento de Amor”, fruto de um contrato firmado com a editora Vidisco, que permitiu a gravação do álbum, cujo som ficou caracterizado pela fusão de ritmos aliados ao rap.
O grupo, que no final do Século XX influenciou o surgimento de outros do género rap em todo o país,  transformou-se no primeiro de rap angolano a lançar um CD, um marco importante na história do rap em Angola. Com 11 faixas, com destaque para “SSP”, “Festa (Desbunda)”, “Olhos café”, “Te quiero”, “Miúda” , “Tell me baby” “Sei que ela”, “Paixão”, “Come back”, “Pitanga”,  e “Amiga”.
Depois de muito sucesso, voltou na ribalta com a gravação do segundo disco, “Odisseia”, que  levou o SSP a uma digressão internacional na África do Sul, em Cabo Verde, na Inglaterra, em Portugal, e Moçambique, países onde as vendas atingiram o disco de prata, além de Macau,  São Tomé e Prícipe e Brasil.

  Produção discográfica e prémios do grupo

O grupo SSP
produziu três discos, nomeadamente “99 por cento de Amor”, “Alfa” e “Odisseia”. Já com apenas Big Nelo e Jeff Brown, após a saída de Paul G e Kudy, em 2000, os fãs foram brindados com os discos “Amor e Ódio” e “Momentos da Trajectória”. Conquistou os prémios de melhor álbum e melhor grupo de hip hop, em 1997, com o disco “99% de Amor”, pela Rádio Luanda, bem como melhor álbum e grupo de hip hop - rap de Angola com “Odisseia” pela RTP-África. Com este disco ganharam o prémio Vidisco, em 1999 e, com o álbum “Alfa”, conquistaram os prémios de melhor disco, grupo hip hop-rap e melhor marketing, em 2000.
Em 2002 foi considerado melhor grupo de música moderna no concurso Moda Luanda.
O CD "Odisseia" tem 18 temas musicais como “Intro”, “Sim ou não (tanta faz)”, “Eu só quero te amar”, “Canto coming (Essa queta)”, “Deus”, “Chula”, “Perigosa”, “Toy Cuba”, “Os reis da noite”, “Luta pelo teu amor”, “Promessa eterna”, “Freestyle”, “Punidores da fofoca”, “Eu te confesso”, “Etu mwangola”, “Abandalho”  e “Can you feeel It”.

Tempo

Multimédia