Cultura

Ambição desmedida encenada no palco

O Colectivo de Artes Julu apresenta amanhã, às 20h00, na Liga Africana, a peça “Pambo ya Njila - a encruzilhada”, para homenagear Lourenço Mateus, o “Pai do grupo”, que foi encenador e director artístico,  falecido no dia 19 Setembro do corrente ano.

A peça escrita pelo malogrado retrata a estória de Raimundo que abandona a aldeia e a família, vendendo todos os pertences, para ir viver na capital, onde mudou de identidade no sentido de nunca ser reconhecido.
Apesar de frequentar kimbandeiros e seitas religiosas, Raimundo faz pedidos grandiosos, mas mesmo assim a sua vida continua numa turbulência e nas suas andanças quando menos espera cruza-se com um dos filhos.
A apetência por coisas materiais e a ambição desmedida do chefe de família, que, sem olhar para os contornos que poderão advir dos seus actos, criam instabilidade no meio da própria família, disse, ontem ao Jornal de Angola, o actor Manuel Teixeira.    
Com esta peça, o grupo Julu pretender despertar as pessoas para a necessidade da união familiar, o respeito pelos hábitos e costumes, de maneira a estarmos sempre em alerta aos falsos profetas.  Na peça, que tem a duração de 50 minutos, participam 11 actores e os ingressos custam 1.500 kwanzas.
O grupo Julu existe desde 1992, possui dez membros no seu elenco artístico, com idades compreendidas entre os 32 e os 45 anos. Vencedor do Festival de Teatro de Luanda em 1999 e no ano de 2000, o colectivo participou na bienal dos jovens criadores da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) e em festivais africanos.

Tempo

Multimédia