Colectivos de teatro reunidos no Huambo


23 de Setembro, 2014

Fotografia: Paulino Damião

Um total de 16 grupos, em representação das províncias do Huambo, Bengo, Cunene, Bié, Cuanza Sul, Cabinda, Cuando Cubango, Luanda, Malanje, Huíla e Benguela, participaram no fim-de-semana, no Huambo, na sétima edição do Festival Nacional de Teatro, promovido pelo Colectivo de Artes Vozes D’África.

Pascoal Nhanga, responsável pela organização do festival, disse que o objectivo foi celebrar os 102 anos de existência da cidade do Huambo, assinalados no domingo, assim como comemorar a II edição do Festival Nacional de Cultura, que decorreu em todo o país, de 30 de Agosto a 20 deste mês.
Na abertura do festival exibiram-se os grupos Vozes D’África, do Huambo, e Nova Lua, do Cuanza Sul. Os anfitriões Vozes D’África apresentaram a peça intitulada “O Genro da humanidade”, baseada no conflito cronológico que existia entre a actual ombala Mbalundo e a montanha de Halavala. O grupo do Cunza Sul apresentou o espectáculo “A Cadeira”, retratando a história de luta pelo poder tradicional numa determinada comunidade.

Mudança de mentalidade


A importância do teatro na moralização, sensibilização, educação cívica e cultural dos cidadãos foi realçada no sábado, na cidade do Huambo, pela chefe do departamento de Acção Cultural local.
Ao discursar na abertura da sétima edição do Festival Nacional de Teatro, Victorina Navimbi admitiu que esta arte constitui um elemento fundamental no processo de educação, por permitir que as pessoas saibam mais sobre a sua cultura e os valores éticos e cívicos da sua comunidade.
“As peças de teatro são de grande importância para a mudança de mentalidade dos cidadãos. Elas representam a identidade cultural e narram aspectos que promovem a educação com maior prazer e diversão”, realçou, sublinhando a necessidade de se considerar o teatro como complemento da educação básica da camada mais jovem.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA